Os segredos revelados da metformina

21
Compartilhe!

O mecanismo de ação de um dos mais conhecidos tratamentos para o diabetes é elucidado em nova pesquisa, o que abre as portas para remédios mais efetivos e sem efeitos colaterais.

varios medicamentos diabetesDiabéticos tipo 2 que tomam remédios para controlar a glicemia provavelmente utilizam a metformina como princípio ativo. A molécula é a base de medicamentos antidiabéticos populares, como Glifage, Glucophage, Dimefor e Glucoformin. Apesar das inúmeras vantagens da metformina, seus desagradáveis efeitos colaterais ainda preocupa boa parte de quem a utiliza. Por isto, uma recente pesquisa, publicada na aclamada revista científica Nature, traz boas esperanças aos diabéticos. Neste trabalho, cientistas do Instituto de Diabetes, Obesidade e Metabolismo da Universidade da Pensilvânia conseguiram compreender em detalhes os segredos do funcionamento da metformina. Com estas informações, os pesquisadores pretendem desenvolver novos medicamentos que imitem os efeitos positivos da molécula e não apresentem nenhum efeito colateral.

 

As vantagens dos medicamentos com metformina

O Glifage é um dos medicamentos antidiabéticos mais receitados no Brasil.

O Glifage, um dos antidiabéticos mais receitados no Brasil, tem a metformina como princípio ativo.

A popularidade dos medicamentos contendo metformina vem principalmente do fato de que, além de cuidar do diabetes, ela também ajuda a prevenir doenças cardíacas e vasculares. A molécula diminui os níveis do colesterol ruim (chamado de LDL) e de triglicérides no sangue, o que reduz os riscos de enfartos, derrames e demais condições.

No caso do diabetes, a metformina atua de duas maneiras. Ela reduz a liberação, na corrente sangüínea, da glicose acumulada pelo fígado – ação que é fundamental em diabéticos, que já tem açúcar demais no sangue. Além disso, a sensibilidade das células do organismo à insulina é aumentada, o que pode facilitar a captação da glicose.

 

As desvantagens e as novas descobertas

Se há alguma coisa de muito errada com a metformina é a maneira como ela atua no sistema digestivo. Apesar de serem de gravidade muito baixa, os efeitos colaterais dos medicamentos que contém a molécula podem ser bastante desagradáveis. No geral, os pacientes reclamam de cólicas freqüentes, diarréia, náuseas, vômitos e até mesmo flatulência.

Os efeitos colaterais da metformina são uma dor de cabeça para muitos pacientes.

Os efeitos colaterais da metformina são uma dor de cabeça para muitos pacientes.

O novo estudo em questão, liderado pelo doutor Morris J. Birnbaum, descobriu a maneira “correta” através da qual a metformina atua. Até 2010, acreditava-se que ela impedia a liberação da glicose pelo fígado através de vias de ativação de uma determinada proteína, chamada de AMPK. Uma pesquisa daquele ano mostrou que a metformina funcionava perfeitamente bem em camundongos que não tinham a tal enzima, provando que a hipótese estava errada. Agora, a equipe de Birnbaum propõe uma nova maneira de entender o funcionamento da metformina, envolvendo novas enzimas e proteínas – o que mostra que podemos saber, na prática, que um medicamento funciona no combate a certas doenças, mas como ele faz isso ainda é um mistério.

O segredo da metformina estaria, de acordo com o doutor Birnbaum, na modulação das atividades da enzima adenilato ciclase. Os pesquisadores afirmam que as descobertas abrem caminho para o desenvolvimento de medicamentos que regulam a atividade da adenilato ciclase da mesma maneira que a metformina, porém se restrinjam a esta função, diminuindo, desta forma, os efeitos colaterais. Segundo eles, este futuro novo medicamento poderá, inclusive, ser utilizado por diabéticos resistentes à metformina, os quais ainda não podem se beneficiar das inúmeras vantagens desta misteriosa molécula.

Efeitos positivos quase inacreditáveis

A metformina já apareceu diversas vezes aqui no Diabeticool, todas elas relacionadas a ótimas notícias. Veja na matéria “Popular medicamento antidiabético também combate o câncer de ovário” como a molécula diminui em até três vezes os riscos deste tipo de câncer. No texto “Para nossa alegria: remédio para diabetes diminui também a depressão“, descubra que a metformina também é um grande auxílio para diabéticos em depressão. E relembre a incrível pesquisa que correlaciona a metformina com a rara multiplicação de células cerebrais em “A inteligência diabética“.

 

Compartilhe!