Compartilhe!

Análise de saúde de homens de meia idade mostra que o consumo de ovos gera um efeito protetor contra o diabetes tipo 2.

O ovo é um alimento cheio de mistérios. Talvez o maior deles – mais enigmático do que adivinhar quem veio primeiro, ele ou a galinha! – seja sua influência na saúde.

Afinal de contas, não é de hoje que o ovo é assunto em jornais, revistas e programas de televisão sobre alimentação saudável. E é difícil decidir se os profissionais orientam a sua ingestão ou não.

Comer ovo faz bem para a saúde ou ele é um alimento nocivo, que deve ser evitado? E, tão importante quanto, qual a sua influência para o diabetes?

Uma nova pesquisa traz dados interessantes sobre essa discussão.

PARA ENTENDER: COMO FUNCIONAM AS PESQUISAS SOBRE ALIMENTOS?

É importante entender como as pesquisas científicas sobre alimentação são feitas para saber por que há tantos alimentos que às vezes são indicados, outras vezes são contraindicados para nossa alimentação.

Em poucas palavras: é extremamente difícil descobrir o real efeito de um alimento no organismo.

Imagine o caso dos ovos, por exemplo. Ninguém se alimenta somente de ovo – as pessoas comem centenas de outras coisas, fumam, bebem, praticam ou não esportes…como determinar qual a influência apenas do ovo na saúde?

pessoas comendo pizza

Para chegar a respostas, os cientistas se baseiam em estudos com milhares de pessoas, e que acompanham a saúde delas ao longo de muitos anos. Este é o caso do novo estudo que vamos explicar logo a seguir. Nesses trabalhos, os cientistas coletam informações sobre a alimentação de um número grande de pessoas em um período de tempo que varia de meses a vários anos, estudando sua saúde e coletando dados como peso, amostras de sangue e informações sobre doenças.

Depois, entra uma parte complica de estatística e de refinamento dos dados. Por meio de cálculos matemáticos, os pesquisadores tentam descobrir quais foram as diferenças na saúde de pessoas que comeram mais ovos do que as outras, por exemplo, tentando eliminar a influência de todos os demais parâmetros.

analises de dados estatisticos

Não é um trabalho fácil, e não é possível ter 100% de certeza sobre os resultados, mas se o número de participantes for grande o suficiente e os dados tiverem um longo histórico, as conclusões ficam cada vez mais próximas da realidade e podem nos ajudar a entender melhor como funciona o corpo humano.

Sentindo-se inspirado(a) pela matéria? Dê uma olhada em nossa receita de Omelete Provençal para quem está com diabetes!

 

OS BENEFÍCIOS DO CONSUMO REGULAR DE OVOS

Proteção frente ao diabetes tipo 2 em homens de meia idade

A nova pesquisa sobre ovos e diabetes foi publicada este mês no periódico científico Molecular Nutrition and Food Research (encontre a referência ao final do texto), a partir de dados de pesquisadores da University of Eastern Finland, na Finlândia. Os cientistas queriam entender os resultados de uma pesquisa anterior, que mostrou uma forte correlação entre o consumo de ovos e menor risco de desenvolver diabetes tipo 2.

Esse estudo anterior se baseou em dados do Kuopio Ischaemic Heart Disease Risk Factor Study, uma análise de cerca de 2 mil homens de meia idade, moradores da cidade finlandesa de Kuopio, e que teve início em 1984.

O estudo atual analisou dados de voluntários divididos em dois grupos: aqueles que comiam uma média de 01 ovo por dia e aqueles que comiam menos do que isso.

Por meio de técnicas modernas de análise dos componentes do sangue dos voluntários, os pesquisadores descobriram que a ingestão recorrente de ovos ao longo da vida é correlacionada a um aumento na quantidade de diversos lipídios no sangue – e eles podem ser o segredo para a proteção contra o diabetes tipo 2.

Semelhantemente, diversas moléculas que já se sabe estar relacionadas ao diabetes tipo 2 apareceram em menor quantidade no sangue daqueles voluntários que comiam mais ovos.

fornada de omelete no cafe da manha

 

CONCLUSÕES

Que conclusões podemos tirar desse novo estudo?

ovo aberto mostrando a gemaÉ interessante perceber como a análise de dados vindos de pesquisas com milhares de pessoas pode nos ajudar a entender o sempre misterioso funcionamento do corpo humano.

É bem possível que, quando o estudo foi iniciado, ninguém imaginava que consumir ovos poderia ter um efeito positivo na proteção contra o diabetes tipo 2 na meia idade. Mas os dados mostraram justamente isso.

A missão da Ciência, agora, é tentar descobrir o porquê desse efeito. Quanto mais estudamos, mais descobrimos segredos do corpo humano e dos alimentos. Com sorte, poderemos em breve montar uma dieta ideal para cada pessoa.

Mas uma conclusão nós já podemos tirar: se você gosta de comer ovos (sem exageros!), saiba que isso pode ter um efeito bastante positivo na saúde. E talvez ajuda a manter o diabetes mais longe, por mais tempo.

DICA!: Receita de Omelete Mexicano! Clique Aqui

 

O PRINCIPAL MOTIVO DA CONTRAINDICAÇÃO DOS OVOS

Todos apontam o dedo para o colesterol

Se há um motivo que quase sempre é associado à contraindicação de ovos na alimentação, esse motivo é o colesterol.

A quantidade de colesterol em 01 ovo é razoavelmente alta – cerca de 190mg, de acordo com o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos. Geralmente, o consumo diário recomendado de colesterol varia entre 100 e 300mg.

Estudos apontam que uma pessoa saudável pode consumir sete ovos por semana tranquilamente, sem ter aumento nos riscos de problemas de saúde. Todavia, alguns estudos mostraram que, para pessoas com diabetes, esse limite possivelmente é menor.

O excesso de colesterol ruim no sangue pode causar entupimento de vasos sanguíneos, o que aumenta os riscos de doenças cardiovasculares e derrames, por exemplo.

 

REFERÊNCIAS CIENTÍFICAS

Compartilhe!