Gordura gera “caos” no corpo humano

1

Uma possível explicação do porquê pessoas obesas tendem a desenvolver diabetes foi descoberta.

O pâncreas (em vermelho) teve mais alguns de seus segredos revelados em recente pesquisa.

O pâncreas (em vermelho) teve mais alguns de seus segredos revelados em recente pesquisa.

Quando acabamos de ingerir uma refeição – e portanto o sangue começa a ficar repleto de açúcares -, o corpo humano ativa diversos mecanismos para controlar a glicemia. Um deles envolve pequenas moléculas chamadas de incretinas. As incretinas ajudam a aumentar os níveis de insulina, o que, por sua vez, reduz a quantidade de açúcar na corrente sangüínea. Este processo de controle glicêmico acontece automaticamente e de maneira super efetiva. Porém, ele pode ser facilmente destruído quando um outro fator entra em jogo: o excesso de gordura.

Pesquisadores do Imperial College de Londres, na Inglaterra, anunciaram que conseguiram detalhar, pela primeira vez, a maneira como a gordura gera “caos” neste processo natural de controle da quantidade de glicose no sangue. De acordo com os cientistas, a descoberta pode gerar maneiras inéditas de se tratar não só o diabetes como também a obesidade. Isto porque, conforme é conhecido há décadas, pessoas obesas são altamente propensas a desenvolver diabetes tipo 2 ao longo da vida.

 

UMA ORQUESTRA AÇUCARADA

“Nós fomos capazes de mostrar que a ‘cooperatividade’ entre as células-beta [as células que produzem insulina] é um pouco como aquela que existe entre músicos em uma orquestra: neste caso, a incretina age como um maestro, melhorando a secreção de insulina ao prevenir que os participantes estejam fora de ritmo entre si”, contou Guy Rutter (foto), professor do Departamento de Medicina do Imperial College e um dos principais autores do estudo.

O pesquisador Guy Rutter, do Imperial College.

O cientista Guy Rutter, do Imperial College.

“Ao mostrar aqui que altos níveis de gordura minam esta dinâmica, resultando em caos, nós esperamos poder melhorar terapias existentes para o diabetes e, eventualmente, diminuir o peso da doença“, disse Guy. O trabalho em questão foi publicado na edição deste mês da respeitadíssima revista científica The Journal of Clinical Investigation.

Os pesquisadores chegaram a estas conclusões após analisar amostras de pâncreas de pessoas com índices de massa corporal (IMC) diferentes. Estas amostras foram expostas a doses de incretina e, depois, os efeitos sobre a produção de insulina foram analisados.

Normalmente, a presença das incretinas acarretava em um enorme aumento na quantidade de insulina gerada pelo pâncreas. A grande descoberta do trabalho foi que, quanto maior o IMC da pessoa (ou seja, quanto mais gordura ela possuía no corpo), menor o efeito positivo das incretinas no aumento da produção de insulina.

Dependendo do quão “gorda” era a amostra examinada, o efeito das incretinas sobre a insulina poderia cessar por completo.

Este mecanismo ajuda a explicar o porquê de pessoas obesas desenvolverem diabetes: as altas quantidades de gordura “rompem” a ação benéfica das incretinas, debilitando o funcionamento da insulina.

Mais do que nunca, portanto, manter o peso em dia e alimentar-se com prudência é essencial para quem deseja levar uma vida mais saudável.

 

Compartilhe!
  • Jéssica Ferreira

    Amei saber disso!