Comer muito açúcar causa diabetes?

1

O que realmente diz a nova pesquisa que relaciona o açúcar ao diabetes tipo 2?

mulher comendo açúcar diabetes

Comer muito açúcar causa diabetes?

Eis uma das perguntas mais comuns a quem está ou lida com a doença. A resposta até há pouco tempo considerada correta era a de que não, comer muito açúcar não causa diabetes – o que acontece, na verdade, é que comer açúcar em excesso favorece o aparecimento de doenças como a obesidade, e elas é que favoreceriam o desenvolvimento do diabetes. Uma pesquisa publicada na semana passada, porém, coloca esta explicação em dúvida. E agora? No final das contas, qual a relação do açúcar com o diabetes?

A imprensa, de maneira geral, vem anunciando um estudo conduzido por cientistas de três grandes universidades americanas (Stanford, Berkley e San Francisco) e publicado na última semana na revista científica PLOS ONE como a prova de que comer muito açúcar causa diabetes – ao contrário do que normalmente é afirmado. Porém, o que os artigos deixam de comentar é que há muito gente que refuta, com bons argumentos, tal afirmação. Vamos entender o que está acontecendo.

 

Uma doce e controversa pesquisa

O estudo acompanhou a oferta de diferentes tipos de alimentos (como açúcares, fibras, frutas, carnes, cereais e óleos) em 175 países no mundo, do ano 2000 a 2010. Para isto, utilizou dados da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), atualmente comandada pelo agrônomo brasileiro José Graziano. Depois, correlacionou estes dados a diversos parâmetros e doenças, como o índice de massa corporal da população e a obesidade.

Os cientistas encontraram uma forte correlação entre o aumento na disponibilidade de açúcar e a prevalência de diabetes nos países estudados. Esta ligação se mantinha mesmo quando os dados de obesidade, alimentação, renda per capita e idade da população foram levados em consideração – o que significa que, de acordo com a pesquisa, pode-se dizer que apenas a oferta de açúcar é responsável pelo aumento no número de casos de diabetes.

+ Para se aprofundar no assunto: leia aqui o polêmico trabalho, na íntegra (em inglês)

Diz o artigo: “(…) nós identificamos que a oferta de açúcar parece ser unicamente correlacionada à prevalência do diabetes, independente dos índices de prevalência de sobrepeso e obesidade, diferentemente de outros tipos de comida e consumo total, e independentemente de outras mudanças econômicas e sociais, como urbanização, envelhecimento, mudanças na renda familiar, estilo de vida sedentário e uso de tabaco e álcool. Descobrimos que a obesidade parece exacerbar, mas não alterar, o impacto da oferta de açúcar na prevalência do diabetes, o que fortalece o argumento a favor de políticas públicas de saúde visando o [combate ao]consumo excessivo de açúcar.”

 

mulher comendo doce diabetes

 

Poréns

Os autores do artigo afirmam, portanto, que quanto mais açúcar for ofertado em um país, maiores os índices de diabetes – o que, é claro, parece indicar que quanto mais se come açúcar, mais se tem diabetes. Mas esta conclusão hipotética é falsa e não possui base em nenhum dado científico.

É importante manter em mente que, para chegar aos resultados do trabalho, os pesquisadores utilizaram informações extremamente generalizadas, tanto aquelas sobre alocação de alimento quanto as sobre a saúde da população. No próprio artigo, eles comentam pelos menos cinco pontos nos quais o trabalho peca em rigor. Por exemplo, os próprios autores afirmam que os dados coletados da FAO não indicam quanto dos alimentos em oferta em um país é consumido e quanto é desperdiçado. Além disso, os dados de prevalência de diabetes utilizados são, em boa parte dos países estudados, meras aproximações estatísticas e muito pouco confiáveis.

Muitos cientistas comentam que o estudo simplesmente indica que a oferta de açúcar pode ser, sim, relacionada ao aumento do diabetes. E que isto não significa grande coisa. A não ser que um rigoroso trabalho científico seja feito que prove que o consumo de açúcar possa ser correlacionado à maior incidência de diabetes, o atual estudo nada mais é que uma curiosidade estatística.

A imprensa mundial, todavia, parece não concordar com esta visão mais sensata – adotada, em parte, até mesmo pelos autores do trabalho. Em termos pra lá de sensacionalistas, ela vem divulgando a história com títulos como “Maior consumo de açúcar é ligado a maiores taxas de diabetes“, “Açúcar está por trás da explosão global de diabetes tipo 2, diz estudo”  e “Mais açúcar = mais diabetes tipo 2“. Todos estes título são uma má leitura do trabalho, como vimos, e transmitem perigosas inverdades.

A respeitada ONG britânica pró-diabéticos Diabetes UK alertou que a pesquisa deve ser encarada com cautela. O grupo Sugar Nutrition UK, que representa os produtores de açúcar do Reino Unido, repudiou o trabalho, contra-argumentando que, na última década, o consumo de açúcar caiu 6% nos países do Reino, enquanto as taxas de diabetes dobraram.

O Diabeticool, visando ao total bem estar de todos os diabéticos e tratando com o máximo rigor as informações publicadas, manterá na página “Verdades e Mitos” a explicação de que comer muito açúcar não causa diabetes, baseada em diversas e rigorosas pesquisas científicas. Porque o estudo em questão não modificou em nada esta percepção. E porque falar a verdade vale muito mais a pena do que simplesmente publicar um título sensacionalista.

Compartilhe!
  • Maria José Fragoso de M.Freire

    que Deus abençoe vocês “Diabeticool” que se preocupam c/a gente diabeticas, com alimentação,informação e pesquisas e nos mantem informados obrigado mesmo beijos.