novidades do google para diabetes
Home Política & Dinheiro Quais são as novidades do Google para quem está com diabetes?

Quais são as novidades do Google para quem está com diabetes?

De lentes de contato inteligentes a aparelhos minúsculos para medir a glicemia, Google fecha parcerias de peso com a indústria farmacêutica na busca de soluções para o diabetes.

novidades do google para diabetes

Gigantes da tecnologia costumam ter dinheiro de sobra, vários engenheiros e cientistas de alta qualidade e muita vontade de inovar. Por que não investir, então, em saúde? É o que empresas como o Google têm feito.

Já havíamos anunciado anteriormente que o Google, que começou como um simples site de buscas, hoje está desenvolvendo diversos produtos de linha médica – até mesmo lentes de contato inteligentes que conseguem detectar a quantidade de açúcar no sangue. Outras duas novidade, também relacionadas ao diabetes, foram reveladas este mês, e mostram as novas tendências de investimento da companhia.

 

EM BUSCA DE REMÉDIOS MAIS EFICIENTES

O Google, através da divisão Life Sciences (“Ciências da Vida”), fechou duas parcerias de peso. Uma delas é com a multinacional franesa Sanofi, uma das maiores farmacêuticas do mundo. A outra é com a DexCom, fabricante de monitores contínuos de glicemia.

A meta é gerar tecnologias e equipamentos que ajudem na luta global contra o diabetes, facilitem o trato com a condição e aumentem a qualidade de vida das pessoas.

parceria google sanofi diabetes
Google e Sanofi fecharam, no último mês, parceria para desenvolver produtos para diabetes.

No caso da Sanofi, famosa por fabricar a insulina Lantus, a farmacêutica entra com o conhecimento prático sobre como tratar o diabetes, enquanto o Google traz as tecnologias de informação para a parceria. A idéia é analisar, através de métodos inovadores, como o corpo humano responde a diversos tratamentos medicamentosos, ajudando a compreender melhor as causas e conseqüências da condição.

“Através da parceria com a Sanofi, nós podemos entender por completo como o diabetes acontece e tentar interromper o desenvolvimento através de métodos proativos e preventivos”, disse o presidente da Google Life Sciences, Andrew Conrad.

Saiba mais sobre o Google Life Sciences

Saiba mais sobre o Google Life Sciences

A Google Life Sciences é um “braço” do Google dedicado a criar novidades médicas de alta tecnologia. Poucas informações acerca dos trabalhos nos laboratórios são divulgadas, o que faz muitos especularem de que projetos de longo prazo de duração e de alto risco estão sendo desenvolvidos ali.

Alguns dos projetos já divulgados e que estão em andamento são as lentes de contato capazes de ler a glicemia (veja no link acima), uma colher (foto abaixo) que “cancela” o tremor das mãos (excelente para quem está com Parkinson e, por isso, não consegue se alimentar direito sozinho) e um enorme banco de dados de informações genéticas, com o intuito de descobrir o que torna um ser humano ‘saudável’.

Talheres desenvolvidos pelo Google “cancelam” o efeito de tremedeira nas mãos, facilitando a alimentação por quem está com Parkinson e outras doenças motoras.

 

MONITORES DE GLICEMIA PEQUENINOS E MAIS BARATOS

[pullquote]Monitores contínuos de glicemia podem medir a quantidade de açúcar no sangue 288 vezes por dia – sem picadas, sem dor. Com isto, é muito mais fácil e prático acompanhar as oscilações e transmitir a informação para seu médico.[/pullquote] Na mesma linha, a parceria com a DexCom promete trazer alivío enorme para quem pica os dedos todos os dias a fim de coletar sangue para medir a glicemia.

Hoje, a DexCom já comercializa dispositivos que medem continuamente a quantidade de açúcar no sangue. São aparelhos não muito grandes, mas com tamanho suficiente para limitar certos movimentos e algumas ações. Além disso, funcionam com uma agulha sob a pele que precisa ser trocada toda semana, o que pode causar algum desconforto. Por fim, ainda são caros: um sensor custa em torno de 70 dólares (R$280) – e, conforme dissemos, dura apenas sete dias.

Apesar de práticos, os aparelhos da Dexcom ainda são grandes demais na opinião de muita gente.

Ao longo dos últimos anos, o Google investiu pesado na miniaturização de componentes eletrônicos. Espera-se que este conhecimento seja aplicado nos equipamentos da DexCom, tornando-os muito menores e tão finos quanto um curativo. Espera-se que o preço, também, diminua após a intervenção do Google.

O futuro parece promissor para o tratamento do diabetes. Existem várias frentes atuando em prol de quem convive com a condição, desde legisladores propondo mudanças em leis, passando por cientistas aprimorando técnicas para facilitar nossas vidas e, agora, até mesmo “mecanismos de busca” tentando encontrar uma solução para este grave problema global. Quanto mais talentos estiverem trabalhando, melhor!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também!

COVID-19 severa e diabetes: o que os médicos estão dizendo sobre tratamentos?

Desde o início da pandemia do novo coronavírus, sabe-se que há alguns grupos de risco espe…