Maioria dos casos de diabetes poderia ser evitado com hábitos saudáveis

0

Cientista colombiano detalha interessante pesquisa sobre gastos energéticos em seminário no Rio.

Nove de cada dez casos de diabetes poderiam ser evitado com um estilo de vida saudável, afirmou nesta quarta-feira o pesquisador e professor de Medicina Interna e Esportiva da Universidade de Los Andes da Colômbia, John Duperly, em um seminário internacional no Rio de Janeiro.

O acadêmico foi um dos palestrantes no 5º Congresso Internacional de Atividade Física e Saúde Pública, que começou ontem no Rio de Janeiro e se prolongará até sexta-feira.

Duperly falou na conferência intitulada “Balanço Energético, Fluxo de Energia e Regulação do Consumo de Calorias”.

O pesquisador avaliou a necessidade da existência de um equilíbrio entre as calorias que são ingeridas e as que são consumidas já que, “se temos muita energia em nossas células, bloqueamos algumas funções”, comentou.

Para conseguir o equilíbrio considerou muito importante a atividade física diária, motivo pelo qual recomendou a prescrição de cursos de exercício para médicos e pacientes.

Por sua parte, o pesquisador americano e professor da Universidade da Carolina do Sul, Robin Shook, fez um recorrido histórico do balanço energético e observou alguns dos estudos realizados desde o século XVIII assim como os fatos históricos como as crises de fome do século XX e a Segunda Guerra Mundial.

“Estamos sobre os ombros de gigantes”, comentou em referência a que as novas pesquisas se fundamentam sobre as pesquisas feitas até agora.

Shook comentou que o consumo de alimentos se complementa com o gasto energético e aquele que não é consumido se transforma em energia acumulada.

O cientista americano repassou alguns dos estudos feitos durante a Segunda Guerra Mundial, quando pesquisadores observaram o gasto energético em soldados para entender os efeitos e aplicá-los no conflito bélico.

Além disso, comentou que desde os primeiros dados obtidos pelos pesquisadores observaram que o ser humano já era “predominantemente sedentário“, o que tem uma notável influência no balanço energético.

A palestra foi concluída pela diretora do Centro para a Pesquisa do Exercício, Atividade Física e a Saúde da Austrália e professora de Atividade Física na Universidade de Queenslad, Wendy Brown.

A pesquisadora falou aos presentes sobre sua experiência profissional com a qual procura promover uma mudança no balanço energético em comunidades particularmente afetadas por um equilíbrio delicado.

Neste sentido disse que “não se pode mudar o balanço energético concentrando-se em apenas um campo, mas é necessário uma aproximação global dos problemas.

Brown destacou que para avaliar o gasto energético de uma pessoa é necessário considerar toda a atividade física realizada e ressaltou que tanto aconselhar de maneira tradicional como através das novas tecnologias são formas adequadas de se aproximar do público potencial.

Fonte: Info

Compartilhe!