Efeito dos ácidos graxos sobre o requerimento de insulina no diabetes melito tipo 1

0

A contagem de carboidratos tem sido muito utilizada para determinar a carga de insulina a ser administrada antes de cada refeição em pacientes com DM1. A despeito disto, a literatura vem mostrando que os ácidos graxos livres têm a capacidade de afetar a sensibilidade à insulina.

Pesquisadores do Joslin Diabetes Center colocaram como hipótese que pacientes com DM1 necessitam de mais insulina para cobrir uma dieta rica em gordura do que para uma dieta pobre em gordura dietética.

Sugerindo que o teor de gordura da alimentação possa interferir nas concentrações de glicose e de insulina plasmática. Foram acompanhados 7 pacientes com diagnóstico de DM1 por mais de 5 anos. A faixa etária dos pacientes era de 21 a 70 anos, IMC 21,5 a 30,6kg/m², hemoglobina glicada de 9% e estavam em bomba de infusão de insulina por mais de 6 meses.

Foram fornecidas dietas semelhantes em teor de carboidratos e proteínas, mas com quantidades diferentes de ácidos graxos (HF-jantar com alto teor de gordura-60g e LF- jantar com baixo teor de gordura- 10g). Os pacientes foram acompanhados por 48 horas em circuito fechado sendo coletada glicemia plasmática a cada 20-30 minutos.

O jantar HF necessitou de mais insulina e provocou mais hiperglicemia quando comparado ao grupo LF. A evidência de que a gordura aumenta as concentrações de insulina mostra a limitação da contagem de carboidratos em estabelecer a dose em bolus de insulina considerando-se somente o carboidrato da refeição quando a dieta é rica em gordura.

Esse evidência tem implicações importantes na orientação e educação do paciente.

Fonte: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/23193216

Por: Jana Grenteski- Informativo Ganep.

 

Fonte: Clic RBS

Compartilhe!