Exageros no Fim do Ano – como aproveitar as Festas com saúde

2

Como se alimentar bem no final do ano, em meio a tantas delícias e guloseimas “gordas”? Ronaldo Wieselberg dá as dicas!

festa de final de ano diabetesFim de ano. Sua mãe fez aquela maionese fantástica para o Natal, você decidiu que era hora de a família inteira conhecer a sua carne assada… Em resumo, as festas de fim de ano são momentos em que a gente pensa em enfiar o pé na jaca e comer à vontade. E muitas vezes, é o que acaba acontecendo mesmo.

Mas será que isso é bom? Principalmente para quem tem diabetes…

A resposta é NÃO. “Enfiar o pé na jaca”, como se diz, nunca é bom para ninguém, e quem tem diabetes não é exceção.

Deixando um pouco de lado o diabetes, e pensando mais na questão geral da alimentação, normalmente as festas de fim de ano seguem um padrão que todos conhecemos bem: muita comida “pesada” – em geral, cheias de gorduras! – e bastante bebida – na maioria das vezes, alcoólica ou refrigerantes. Não só são comidas que normalmente não comemos, mas também são aquelas que podem trazer alguns probleminhas a qualquer pessoa.

Atire a primeira pedra aquele que nunca ficou com azia, indigestão ou enjoado depois de comer muito. Além disso, no caso de quem consome álcool, também temos os perigos de passar um pouco da conta, e o pior de todos: beber e sair dirigindo, que não é prejudicial só a você, mas aos outros também! Apesar de serem pontos importantes, é coisa para outro dia…

Voltando um pouco à relação com o diabetes, muita gente segue o ditado popular de que “não é o que você come entre o Natal e o Ano Novo, mas entre o Ano Novo e o Natal que faz mal”. Essa é uma verdade, e, da mesma forma, não devemos acreditar que nas férias vamos resolver todo o problema de um eventual sobrepeso ou que o controle glicêmico nessa época do ano, apenas, basta.

Sendo realista, o melhor a se fazer no final do ano – e durante as festas – é estabelecer um plano para manter o peso. Evitar o ganho de peso já é uma ótima maneira de começar um controle bom para o ano seguinte. E, não, ir para a academia para um “Projeto Verão” não é legal, já que não é só no verão que devemos nos preocupar com a saúde!

projeto verão diabetes

Manter a saúde e a glicemia controladas é missão para o ano todo, não apenas para o final do ano!

Como normalmente os horários ficam um pouco – bastante! – atrapalhados, já que acabamos comendo, dormindo, acordando, tudo em horários diferentes do nosso dia-a-dia normal, isso pode alterar bastante a glicemia. Viagens também acabam alterando um pouco devido à fuga da rotina. A solução? Simples: aumentar a quantidade de testes para verificar a glicemia.

Outra coisa é não deixar de praticar atividade física só porque entrou no período de férias. Além de servir para o plano inicial de manter o peso, a atividade física auxilia muito no controle glicêmico! Afinal, quem não gosta de jogar um futebol na praia com os amigos, andar de skate ou até ir andar no shopping para ver as liquidações de fim de ano? Tudo isso pode ser contado como atividade física!

E, enfim, chegaram as festas. Aquela mesa bonita abre o apetite e… Bem, aqui, temos uma outra recomendação que parece esquisita. Não vá para uma festa sem antes ter feito um lanchinho leve!

Parece piada, mas não é! Quando vamos com fome para uma festa, comemos muito mais do que o necessário para a nossa satisfação! Para evitar isso, antes de sair de casa – ou começar a arrumação da festa, se for na sua casa! – vale a pena comer uma fruta ou um iogurte, assim, você não vai comer mais do que precisa.

Outra coisa que evita que comamos mais do que precisamos é dar uma volta ao redor da mesa antes de nos servirmos. Assim, podemos ver quais pratos chamaram mais a nossa atenção, se algum deles é o nosso favorito, e se tem algo que talvez não gostemos. Isso evita, também, erros na contagem de carboidratos – por exemplo, se pegamos uma comida e descobrimos que não gostamos, mas já aplicamos a insulina necessária para aquela porção.

Falando em comer mais do que o necessário, uma recomendação é esperar alguns minutos antes de repetir o prato ou começar a sobremesa. Isso permite que os nossos sistemas sinalizadores da saciedade – sim, tanto hormonais quanto nervosos! – indiquem se já comemos o suficiente ou não. Além de evitar os excessos na comida, evita, também, que não consigamos comer tudo o que colocamos no prato, e tenhamos um desperdício com comida.

Como diz a minha mãe, “é pecado jogar comida fora”, e dados da ONU mostram que com toda a comida desperdiçada diariamente seria possível erradicar a fome no planeta.

ceia de ano novo diabetes

Então, vamos fazer o prato! Uma regrinha prática da nutrição é dividir o prato em quatro. Metade dele – ou seja, dois quartos – são para as verduras e legumes, que são leves – ótima pedida no verão! – e aumentam a sensação de saciedade. Da metade que sobrou, um quarto reserve para as proteínas magras – carnes, basicamente – e o quarto restante, para os carboidratos – arroz, batatas, escolha um!

E quanto ao álcool… Bem, limite a quantidade de bebida a uma ou duas doses. Também não beba em jejum e evite bebidas doces como licores e coquetéis. Não se esqueça, também, de que o álcool é calórico, o que pode, inclusive, estimular o seu apetite.

Por fim, não esqueça de tomar sua insulina e medicação na hora certa e, caso os resultados se mantenham altos por muito tempo, não hesite em ligar para a sua equipe de saúde! Assim, você poderá festejar sem problemas!

Um Feliz Natal e ótimo Ano Novo!

 

Referências

Joslin Diabetes Center – Managing Your Diabetes Over the Holidays (em inglês)

Tenho Diabetes tipo 1, e agora?

 

ronaldo wieselberg perfil diabeticoolRonaldo José Pineda Wieselberg tem diabetes há mais de 20 anos. É estudante de Medicina na Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa (FCMSCSP), auxiliar de coordenação do Treinamento de Jovens Líderes em Diabetes da ADJ Diabetes Brasil e Jovem Líder em Diabetes pela Federação Internacional de Diabetes (IDF), com trabalhos sobre diabetes premiados e apresentados no Brasil e no exterior. Apesar de ter o mesmo nome de vários grandes jogadores de futebol, prefere o xadrez.
+ Leia mais textos de Ronaldo Wieselberg:
Revelado o segredo da água de quiabo” – 18.12.2013
Uma nova força lutando pelo diabetes” – 16.12.2013

 

Compartilhe!
  • Doba R. K. Klein

    Bom senso se treina sim e como você comprovou exige abnegação e muito sacrifício. Ronaldo, não sou diabética, mas creio que tudo o que li e tenho lido sobre o que escreve aplica-se a pessoas em geral, que valorizam a Vida, o bem estar, o que permite concluir que cuidados na medida certa nunca são demais. Continue assim, exemplarmente, numa árdua luta, e como futuro médico envolvido com objetivos tão humanistas dividindo seus saberes e afetos com todos. Identifico-me e admiro demais sua postura, seu caráter.

  • Ótimo texto, meu amigo Ronaldo !
    Vou ler os outros, já que – como você sabe – descobri hoje que sou diabético.
    Muito obrigado pela sua ajuda !