A quase inacreditável história de Pudim, o gato

0

A incrível história de como Pudim, o gato, salvou a vida de sua novíssima proprietária horas após ter sido adotado, já se tornou uma lenda da Internet.

Cerca de um mês atrás, Amy Jung, 36 anos e moradora de Sturgeon Bay (Door County, WI), adotou um gato grande, alaranjado e descontraído da Door County Humane Society, uma associação que cuida de animais abandonados em Door Conty, WI. O que Amy Jung não sabia era que Pudim, seu gato recém-adotado, era também um herói.

Pudim, o gato (direitos da imagem: Door County Humane Society)

Amy e seu filho, Ethan, foram visitar o abrigo da DCHS sem o intuito de adotar nenhum animal – foram apenas para brincar com os gatos, que ficam andando soltos pela área do abrigo na cidade de Nasewaupee, WI. O que aconteceu lá, porém, foi uma atração inexplicável entre Amy e o gato Pudim: era como se conhecessem desde sempre. Isto resultou na adoção de Pudim (8 anos e meio) e seu companheiro Wimsy (3 anos). Os dois gatos tinham sido levados ao abrigo após o falecimento de sua antiga dona, e Amy não quis separá-los.

Naquela noite, por volta das 21:30, Amy Jung, diagnosticada com diabetes aos 4 anos de idade, foi dormir tranquilamente. Cerca de 90 minutos depois de dormir, foi acordada por Pudim, sentado em seu peito, dando patadas em seu rosto e mordendo seu nariz. O gato reconheceu que sua nova dona estava sofrendo uma crise de hipoglicemia.

Quando Amy acordou e se deu conta da situação, chamou seu filho para ajudar. Pudim, então, correu para a cama de Ethan e o colocou em ação. Ethan correu imediatamente para prestar à sua mãe a ajuda que ela precisava.

“O médico disse que ela poderia ter entrado em coma e corria o risco de não sair dele se tivesse se passado muito mais tempo”, disse Carrie Counihan, diretora executiva da DCHS. “O fato de Pudim ter agido como agiu sem nem ao menos conhecê-la tão bem é simplesmente fantástico para mim”.

“Quando você é diabético, seu corpo exala um cheiro característico, e ele está reagindo a este cheiro”, disse Amy. Os cães podem ser treinados para detectar um cheiro que sai do tornozelo do diabético quando seu nível de açúcar no sangue cai, e avisar o seu dono, segundo Aaron Backer, diretor da Wisconsin Academy of Graduate Service Dogs (Academia de Graduação paraCães de Serviço do Wisconsin). “Não sei como um gato sem ter passado por qualquer tipo de treinamento poderia fazer o mesmo”, disse Backer, “mas é certamente possível.”

Para saber mais sobre esta incrível história, siga este link ou este outro link (ambos em inglês), ou basta procurar por “Pudding the cat” em qualquer mecanismo de busca – a história já foi traduzida para várias línguas e se tornou viral desde seu acontecimento, em 8 de fevereiro deste ano.

Compartilhe!