Você conhece o sintoma do “ombro congelado”?

7

Saiba mais sobre dores nos ombros causadas pelo diabetes e o que fazer para evitá-las.

sindrome ombros congelados diabetes

Com a chegada do inverno aqui no hemisfério sul, muitas pessoas começam a sentir os efeitos dolorosos de inflamações nas juntas e articulações. Uma das dores mais pungentes que podem ser sentidas é aquela que afeta as articulações dos ombros, partes do corpo que mexemos a todo momento. Diabéticos têm maiores chances de desenvolver um grave problema médico justamente aí, problema este conhecido como síndrome do ombro congelado.

Apesar dos motivos que levam ao surgimento de tal síndrome serem ainda desconhecidos, acredita-se que a grande quantidade de açúcar no sangue de quem está com diabetes contribua para a inflamação do tecido flexível que envolve a articulação do ombro. Uma vez inflamado, este tecido começa a “engrossar” e a limitar a movimentação nos ombros, até que “congele” por completo os movimentos, impossibilitando a realização até mesmo das tarefas mais simples. Esta progressão dos sintomas pode durar de alguns meses até vários anos.

O frio costuma piorar a sensação desagradável nos ombros. Pacientes freqüentemente relatam dores fortes conforme o inverno avança.

De acordo com recente pesquisa conduzida nos EUA, diabéticos têm cinco vezes mais chances de desenvolver a síndrome do ombro congelado do que a população no geral.

Não existe um remédio que cure a síndrome do ombro congelado. Geralmente, o que é recomendado pelos médicos é a prática de fisioterapia ou hidroterapia, aliada a massagens localizadas – o único problema é que este tratamento provoca muita dor. Cirurgia também é uma opção em alguns casos. Com estes controles, os ombros costumam se “descongelar” naturalmente – ou seja, retornam os movimentos – para a maior parte dos pacientes, em um processo que pode levar até dois anos.

Para pacientes diabéticos, a melhor dica é manter a quantidade de açúcar no sangue sob total controle, ainda mais se começar a sentir dores, falta de mobilidade e rigidez nos ombros.

 

Compartilhe!