Um homem que todos nós deveríamos agradecer

1

Boa parte do que sabemos hoje sobre diabetes se deve ao trabalho de Peter Bennett, o primeiro ganhador do Prêmio Harold Hamm para Pesquisas em Diabetes.

O cientista Peter Bennett.

O cientista Peter Bennett.

Pesquisar uma cura para o diabetes ganhou um incentivo a mais este ano. O magnata do petróleo Harold Hamm, diabético tipo 2 e presidente da multinacional Continental Resources, uni-se à Universidade de Oklahoma, nos EUA, e criou o ‘Prêmio Internacional Harold Hamm para Pesquisas Biomédicas em Diabetes‘. Não havia, até então, nenhum tipo de premiação voltada especificamente para os cientistas que trabalham com esta linha de pesquisa. Esta semana, foi anunciado o primeiro vencedor do prêmio: o dr. Peter H. Bennett, que atualmente trabalha no Instituto Nacional de Saúde, nos EUA.

Bennett recebeu mais de meio milhão de reais pela conquista. À ela se somam os outros 19 grandes prêmios que o cientista recebeu ao longo de uma carreira dedica à compreensão do diabetes.

O painel de jurados da premiação, composto por cinco especialistas em diabetes renomados internacionalmente, afirmou que as pesquisas do dr. Bennett sempre estiveram 50 anos à frente de seu tempo. “O trabalho do dr. Bennett é uma verdadeira base no mundo das pesquisas com diabetes. Ele deu enormes contribuições à nossa compreensão do que é o diabetes, de como ocorre a gênese das complicações e de como prevenir tanto a doença quanto as complicações”, afirmaram os jurados.

“É certo que, um dia, esperamos ter uma cura real para o diabetes, e esta cura será sem dúvida nenhuma um resultado das pesquisas que o dr. Bennet conduziu”.

Medalha agraciada aos vencedores do Prêmio Harold Hamm.

Medalha agraciada aos vencedores do Prêmio Harold Hamm.

 

O QUE O DR. BENNETT DESCOBRIU?

Ao longo de sua extensa carreira, Peter Bennet expandiu de diversas maneiras os horizontes da comunidade científica quanto ao diabetes, suas causas e o que podemos fazer para preveni-lo. Ele foi a primeira pessoa, por exemplo, a falar sobre “prevenção de diabetes“, através de uma dieta adequada e de exercícios físicos.

Além disso, Bennett tem contribuição fundamental na descoberta de que a resistência à insulina é um forte fator de risco para o desenvolvimento do diabetes tipo 2. Foi ele também que determinou as bases do que, hoje, são considerados os critérios internacionalmente aceitos para o diagnóstico do diabetes tipo 1 e do tipo 2.

A comunidade diabética tem, com certeza, muito a agradecer a este iluminado cientista.

 

O Centro Harold Hamm de Estudos do Diabetes lançou um vídeo comemorativo do prêmio. Assista-o logo abaixo (em inglês) e conheça mais sobre as pesquisas pioneira do laureado dr. Bennett.

Compartilhe!
  • andrade

    as pesquisa com células troncos, não deu resultado?