Tresiba no SUS? Aberta consulta pública sobre a insulina de ultra longa duração

0

Já imaginou tratar o diabetes com a insulina Tresiba, de ultra longa duração? Pessoas com diabetes do DF têm chance de participar de Consulta Pública.

insulina-degludeca-tresiba-diabetes-tipo-1

 

A insulina degludeca (esse é o nome ‘médico’; seu nome comercial, encontrado nas farmácias, é Tresiba) chegou ao Brasil em 2014, com grande repercussão. Trata-se de uma insulina de ação ‘ultra-longa’: uma vez aplicada, fornece os níveis basais de insulina por um período de até 42 horas, garantindo maior conforto e comodidade (especialmente para quem está com diabetes tipo 1 e precisa injetar insulina várias vezes ao dia).

Apesar da pessoa com diabetes tipo 1 ainda necessitar da aplicação de insulina de ação rápida na hora da alimentação, com o uso das insulinas de ação prolongada ela terá maior segurança quanto ao equilíbrio dos níveis de açúcar no sangue.

A degludeca possui perfil de ativação longo, isto é, a insulina é liberada continuamente no organismo, ao longo das 42 horas. Isso significa que os períodos entre as aplicações são muito mais flexíveis. Além disso, diversos estudos científicos mostraram que há redução considerável nos episódios de hipoglicemia – em especial a temida hipoglicemia noturna – entre usuário da Tresiba.

Já pensou ter esse moderno tratamento para o diabetes gratuitamente, por meio do Sistema Único de Saúde?

CLIQUE AQUI PARA ENVIAR SEU E-MAIL PARA A SECRETARIA DE SAÚDE DO DISTRITO FEDERAL!

 

 

CONSULTA PÚBLICA ESTUDA INCLUSÃO DA DEGLUDECA NO SUS

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal está em processo de análise da proposta de inclusão da insulina de ultra-longa duração no Sistema Único de Saúde. Isso significa que seus representantes analisarão o mérito da questão e poderão sugerir que, de fato, usuários do SUS possam ser tratados com a degludeca sem pagar nada.

A sociedade civil também pode –e deve! – participar desta consulta. Até o dia 07 deste mês (sábado), a secretaria receberá e-mails do público com relatos sobre a importância da incorporação de degludeca no SUS. Podem participar pessoas com diabetes, familiares, profissionais da saúde e cuidadores. O essencial é, na mensagem, argumentar sobre a importância de poder contar com uma insulina de ação ultra-longa para manter a glicemia sob controle e evitar, assim, as diversas consequências perigosas do diabetes mal controlado.

Enviar este e-mail é uma maneira de alertar as autoridades públicas sobre o impacto que o diabetes tem na vida de milhões de brasileiros, além de fazê-las compreender o que pode ser feito para melhorar a saúde desta parcela tão grande da nossa população.

De acordo com o protocolo elaborado pela Secretaria de Saúde do DF para a Consulta Pública, a inclusão da insulina degludeca tem como objetivo “oferecer ao usuário a oportunidade de reduzir complicações e de melhor qualidade de vida com menor variabilidade glicêmica, com uso de formulações seguras que garantam menores riscos de hipoglicemia em todas as faixas etárias e condições de saúde”.

A Consulta Pública prevê fornecimento da insulina degludeca para:

  • pessoas com diabetes tipo 1;
  • diabetes associado à gravidez;
  • diabetes tipo 2 com insuficiência renal crônica em procedimento dialíticos, pós transplantes ou em insulinização plena;
  • maiores de 80 anos que apresentem condições especiais.

 

UMA OPÇÃO DE PESO PARA O MELHOR CONTROLE DO DIABETES

De acordo com Alex Alves, presidente da Associação de Diabéticos de Brasília, atualmente há mais de 150 mil pessoas com diabetes no Distrito Federal. Delas, pelo menos 8 mil são crianças e jovens de 0 a 14 anos, que precisam de cuidados diários para controlar o diabetes tipo 1. Este é um dos públicos-alvo mais importantes para esta Consulta Pública.

tresiba diabetes 2

Caneta de aplicação da nova insulina de ultralonga duração.

“Quanto mais opções tivermos na hora de controlar a glicemia, melhor”, afirma Alex. O diabetes e seus sintomas variam muito de pessoa para pessoa, e possibilitar o uso de novas abordagens terapêuticas, modernas e comprovadamente eficientes, é um passo positivo rumo à melhora na qualidade de vida de todos que convivem com o diabetes.

Os interessados em contribuir com a consulta pública podem enviar um e-mail para consultapublicaprotocolodf@gmail.com com o seu relato. Lembrando que as contribuições devem ser feitas até o dia 7 de janeiro de 2017.

 

 

Compartilhe!