Tire suas dúvidas sobre atividade física e diabetes

0

Sempre que se tem alguma restrição alimentar, é normal ficar em dúvida do que comer antes e depois da atividade física. Com os diabéticos não é diferente. Até porque existe uma infinidade de suplementos alimentares. A seguir, confira a entrevista com o médico Gustavo Otto.

Sou diabético. Posso fazer exercícios sem medo?

Recomenda-se que pessoas acometidas pelo diabetes realizem atividade física. A prática deve ser de, ao menos, 210 minutos de atividade intensa a moderada por semana. Ou 125 minutos de atividade vigorosa – combinando exercício aeróbico e de resistência, em dias alternados. Isso porque ocorre sinergia entre os dois tipos de exercício, enquanto o aeróbico melhora a sensibilidade a insulina, o treinamento de resistência está associado a melhor absorção de glicose sanguínea, maior ganho de massa muscular e maior expressão de GLUT-4 (proteína transportadora de glicose).

Para os diabéticos, é prudente realizar a aferição da glicemia capilar cerca de 30 minutos antes da atividade física. Se o valor da glicemia for superior a 250mg/dl, não é recomendada a prática da atividade física. Caso esteja menor do que 110mg/dl, é aconselhável consumir carboidratos de baixo índice glicêmico antes da prática de atividade física.

 

Há relação entre a atividade física e a melhora do diabetes?

Um estudo recente revelou que houve melhora de aproximadamente 60% na capacidade do pâncreas em secretar insulina e de 20% na resistência insulínica com a aplicação de exercícios de intensidade moderada (neste estudo, usaram caminhada lenta por 60 minutos, 3 vezes por semana durante 8 meses de acompanhamento).

 

Vi um colega na academia tomando maltodextrina antes do treino, ele me disse que melhora o rendimento. Posso tomar?

Diabéticos não devem tomar maltodextrina, já que se trata de um carboidrato de alto índice glicêmico. Os diabéticos devem optar sempre por carboidratos complexos, de baixo ou médio índice glicêmico.

O consumo de carboidratos de alto índice glicêmico é desaconselhado antes do treino, uma vez que a atividade física levará a uma maior captação de glicose. E os níveis de glicose podem baixar rapidamente levando a um quadro de hipoglicemia.

 

Posso consumir carboidrato durante o treino?

É uma opção válida. Alguns estudos sugerem consumir cerca de 20g de carbo a cada 30 minutos de treino em caso de exercícios prolongados. Outra opção é consumir 2 a 3mg/kg/min para atividades leves e 5 a 6mg/kg/min para atividades extenuantes.

 

E o pós-treino?

Parte fundamental da suplementação do diabético é referente ao pós-treino, quando se deve repor os estoques de glicogênio muscular e hepático e prepará-lo para o dia seguinte de treinamentos.

Nossos músculos continuam a repor seus estoques de glicogênio horas após a atividade física, então o risco de hipoglicemia neste período, em particular em pessoas diabéticas, é muito grande. Deve-se optar por carboidratos complexos (de digestão/absorção mais lenta) na dose de 1,5g/kg de peso corporal até 30 minutos após o treino treino, seguido de 1,5g/kg de peso corporal no prazo de 2 horas pós treino”.

 

Diabéticos podem tomar whey protein?

Sim. A proteína do soro do leite ou whey protein é capaz de melhorar o aproveitamento da glicose como fonte energética. Os aminoácidos leucina, isoleucina, valina, lisina e treonina melhoram a secreção e o efeito da insulina. Além disso, aumentam o tempo de ação do GLP-1, que é responsável por estimular a secreção insulínica e retardar o esvaziamento gástrico durante as refeições. Isso tudo melhora a sensibilidade hormonal a insulina.

 

Quais outros nutrientes os diabéticos devem repor?

A reposição deve ser individualizada. Hoje, há de exames de sangue, urina e mineralogramas em que é possível avaliar com mais precisão quais nutrientes estão defasados.

Em diabéticos, deve-se dar atenção especial também aos minerais, em particular o zinco e o cromo. O zinco melhora a estocagem da insulina nas células pancreáticas. Além de facilitar a ligação deste hormônio aos seus receptores, diminuindo a resistência insulínica. O cromo forma um complexo molecular que melhora a captação de glicose sanguínea.

A prática regular e contínua de atividade física melhora a saúde e a qualidade de vida. No diabético não é diferente porém, deve-se ter alguns cuidados específicos para evitar problemas.

Fonte: Blog Barra de Cereal

 

Compartilhe!