Regeneração das células produtoras de insulina

2

Novas pesquisas tentam regenerar as células produtoras de insulina no diabetes do tipo 1. Entenda o que isto significa neste texto do Diabetes sem Medo!

O Diabetes tipo 1 é caracterizado pela perda seletiva de células β (beta) do pâncreas (células produtoras de insulina), e é uma condição que afeta mais de 30 milhões de pessoas em todo o mundo. Apesar dos tratamentos atuais, os pacientes com diabetes tipo 1 têm uma expectativa de vida reduzido em cinco a oito anos. É neste contexto que a equipe da Avenir “Diabetes Genetics” tem trabalhado para desenvolver novas abordagens para regenerar estas células.

Em 2009, pesquisadores do Instituto de Biologia Valrose (Inserm/Universidade de Nice Sophia Antipolis) conseguiram converter células produtoras de glucagon (células α (alfa)) em células produtoras de insulina (células β) em ratos jovens. Atualmente, graças à utilização de ratinhos transgênicos, os pesquisadores demonstraram os mecanismos que resultam nesta mudança de identidade da célula. Estas são as células dos ductos pancreáticos que podem ser mobilizados e literalmente transformada em células α, e em seguida em células β, um processo que funciona em qualquer idade. A transformação é obtida através da ativação forçada do gene Pax4 nas células α do pâncreas. Os eventos em cascata que ocorrem neste processo resultam na produção de novos tipos de células β, graças ao renascimento dos genes de desenvolvimento. Ao longo deste processo, as células α são regeneradas e gradualmente adaptadas para o perfil das células β. Isto significa que o pâncreas tem uma fonte virtualmente inesgotável de células capazes de reparar as células β.

Segundo Patrick Collombat, diretor de pesquisa do INSERM e principal autor do estudo, eles demonstraram que todas as células β pancreáticas podem ser regeneradas pelo menos três vezes usando esse mecanismo. Ao criar o diabetes tipo 1 artificialmente em ratos, o diabetes pode ser literalmente “tratado” várias vezes graças ao novo papel funcional das células β produtoras de insulina.

Estes resultados promissores obtidos em ratos sugerem que o pâncreas contém células que podem se regenerar diversas vezes em células beta, as mesmas que foram perdidas nas pessoas com diabetes tipo 1.

“Nós estamos trabalhando atualmente com a possibilidade de induzir esta regeneração por meio de moléculas farmacológicas. Graças a estes novos dados, vamos nos concentrar nos próximos anos para determinar se estes processos podem funcionar em humanos. O verdadeiro desafio é oferecer melhores tratamentos para o diabetes tipo 1”, conclui Patrick.

O trabalho deles foi publicado on-line em 27 de junho de 2013 no periódico científico Developmental Cell Journal.

diabetes sem medo regeneração células beta diabetes

Clique na imagem para ampliar.

 

Compartilhe!
  • Sergio Guilhamil

    Foi esclarecedor para mim.

  • Que bom, Sergio, ficamos felizes. Continue acompanhando nossas dicas e reportagens, criadas pensando exclusivamente em quem convive com o diabetes!