Quem se estressa no trabalho tem riscos elevados de diabetes

0

Pesquisa alemã mostra que altos níveis de stress no trabalho afetam até mesmo o nosso pâncreas, aumentando em impressionantes 45% os riscos de surgimento do diabetes tipo 2.

stress no trabalho diabetes

No trabalho, o melhor é se acalmar, senão o pâncreas pode xiar.

Terça-feira. A semana mal começou e você já está repleto de trabalhos a fazer, prazos curtíssimos a cumprir e seu chefe não lhe dá autonomia para resolver os problemas por conta própria? Muito cuidado – você está correndo riscos altíssimos de desenvolver diabetes tipo 2!

Esta é a conclusão de um estudo científico realizado na Alemanha e publicado no periódico Psychosomatic Medicine.

Pesquisadores do Instituto de Epidemiologia de Munique acompanharam a saúde de cerca de 5.300 trabalhadores, homens e mulheres das mais diferentes idades, ao longo de mais de 10 anos. Em comum, nenhum deles estava com diabetes no início do estudo.

Com o tempo, aproximadamente 300 casos de diabetes tipo 2 foram relatados entre estas pessoas. A partir daí, o trabalho dos cientistas foi tentar correlacionar níveis de stress no trabalho com o surgimento da doença.

 

CHEFE CHATO AFETA ATÉ O PÂNCREAS

“De acordo com nossos resultados, aproximadamente 1 em cada 5 trabalhadores se encontra em situação de alto stress no serviço”, disse o professor Karl-Heinz Ladwig, um dos autores do estudo.

“E com isto não nos referimos ao stress normal do trabalho, mas a uma situação em que os indivíduos afirmam que suas obrigações são pesadas demais, ao mesmo tempo em que possuem pouco espaço para tentar encontrar soluções por conta própria”, explicou.

Estas pessoas em nível alto de stress têm chances 45% maiores de desenvolver diabetes tipo 2 do que seus parceiros menos estressados, segundo a pesquisa.

trabalho diabetes tipo 2

 

A IMPORTÂNCIA DE SE MANTER ‘ZEN’

A revelação do grupo de pesquisas alemão corrobora um outro trabalho científico, do ano passado, que também relacionou o stress a chances maiores de diabetes tipo 2.

Em fevereiro de 2013, o repórter Ricardo Schinaider de Aguiar relatou com exclusividade para o Diabeticool: “Através de um estudo que durou mais de 35 anos, pesquisadores suecos da Universidade de Gothenburg acreditam ter estabelecido uma relação direta entre o alto nível de stress e o diabetes tipo 2 (…). Dentre os homens estudados, 15,5% relataram altos níveis de stress. Nesse grupo, a incidência de diabetes tipo 2 foi 37% maior quando comparada àquela de homens que apresentavam pouco ou nenhum stress.”

Será que o stress em altos níveis gera modificações no corpo, que acabam por estimular o surgimento do diabetes tipo 2? Ou será que quem está estressado não cuida bem da saúde, come mal, pratica menos exercícios físicos e, por isso, tem mais chances de ter diabetes? Estas perguntas o estudo não respondeu. Mas fica o alerta para que todos que estejam estressados respirem bem fundo e tentem buscar o equilíbrio interno. Por mais difícil que seja, manter-se calmo vale muito a pena e pode ser uma prevenção e tanto para diversas doenças no futuro.

 

Compartilhe!