Proteja as crianças da diabetes

0

O doutor Jacome Castro, Endocrinologista e Secretário Geral da Sociedade Portuguesa de Endocrinologia, Diabetes e Metabolismo, conta um pouco sobre diabetes infantil [texto em português de Portugal!]

A diabetes é uma doença com expressão crescente, que atinge cada vez mais pessoas em todo o mundo e em idades cada vez mais jovens. Atualmente existem mais de 366 milhões de diabéticos em todo o mundo e estima-se que, dentro de 30 anos, sejam aproximadamente 680 milhões. Em Portugal, a doença afeta cerca de um milhão de pessoas.

A diabetes tipo 2 é uma doença silenciosa, que surge em idades cada vez mais jovens na sequência da má alimentação e do estilo de vida sedentário, muito característicos dos países desenvolvidos. A obesidade aumenta significativamente o risco de desenvolver a doença.

Pessoas que tenham familiares próximos com diabetes, pessoas obesas, com tensão arterial e colesterol elevados e mulheres que tenham desenvolvido diabetes gestacional têm mais tendência para desenvolver a doença. Estes grupos de pessoas devem ser rastreados mais cedo do que a população geral, procurando identificar mais cedo a doença, diminuindo assim o elevado número de casos de diabetes não diagnosticada que ainda existe no nosso pais. (cerca de 40% dos casos de diabetes tipo 2 na população adulta portuguesa não estão diagnosticados).

Urinar muito, sede constante, emagrecimento repentino, fadiga, dores musculares, dores de cabeça, náuseas e vómitos constituem por vezes, a forma de apresentação da doença.

Aos pais e educadores cabe supervisionar a alimentação dos mais novos, e incentivá-los à prática de exercício físico, bastante importante na prevenção da doença.

A diabetes confirma-se se o doente apresentar uma glicemia ocasional de 200 miligramas por decilitro ou superior com sintomas, ou se tiver uma glicemia em jejum (oito horas) de 126 miligramas por decilitro ou superior em duas ocasiões separadas de curto espaço de tempo. O tratamento da diabetes pode ser feito com recurso a fármacos antidiabéticos orais e de administração subcutânea, assim como recorrendo a injeções de insulina.

O controlo da diabetes pode transformar-se num desafio. O estigma associado à doença, a necessidade de injeções de insulina, a confusão entre diabetes tipo 1 e tipo 2 e os mitos em torno de uma diabetes mal controlada levam muitas vezes os doentes a encarar mal a doença, o que acarreta dificuldades acrescidas no seu controle.

É importante sublinhar que a diabetes não deve representar impedimento a uma vida normal. O Doente diabético deve aprender a conhecer e autocontrolar os seus níveis de glicose, para que possa ser mais autónomo, ajustando de forma equilibrada estilos de vida e medidas terapêuticas.

A diabetes será um dos temas em debate no 15º Congresso Português de Endocrinologia que decorrerá de 23 a 26 de Janeiro, no Algarve. Para mais informações consulte http://www.spedm.org.

Fonte: Diário Online Algarve

 

Compartilhe!