Projeto oferece atividade física para promover saúde a diabéticos

0

A atividade ao ar livre, além de ser recreativa, proporciona a melhora das funções cardiorrespiratórias.

A prática regular de exercícios físicos gera benefícios que se manifestam em todos os aspectos do organismo. Do ponto de vista músculo-esquelético, ela melhora a força, o tônus muscular e a flexibilidade, bem como fortalece os ossos e as articulações. Para as crianças, ela pode ajudar no desenvolvimento das habilidades psicomotoras. A atividade promove a perda de peso e de porcentagem de gordura corporal, a redução da pressão arterial, a diminuição do colesterol total e o aumento do “colesterol bom” (HDL). Todos esses benefícios auxiliam na prevenção e no controle de doenças, como hipertensão, diabetes, problemas cardiovasculares, infarto, câncer de cólon, entre outras. A pessoa que deixa de ser sedentária diminui o risco de morte por doenças do coração em 40%.

Para o professor de Educação Física, Samir Messias de Freitas, isso mostra que uma pequena mudança nos hábitos de vida é capaz de provocar uma grande melhora na saúde e na qualidade de vida. Por isso, há 20 anos ele desenvolve, de forma gratuita, o Projeto Atividades Físico-Recreativas para Diabéticos. Atualmente, as atividades são realizadas das 7h às 8h, às segundas, quartas e sextas-feiras, em frente do Museu do Zebu, dentro da ABCZ. Não é necessário inscrição ou qualquer outro pré-requisito para participar. Hoje, cerca de 80 pessoas, de todas as idades, participam das atividades físicas e recreativas do projeto.

O especialista destaca que o exercício físico regular reduz o índice de quedas em idosos, ajuda a aliviar a dor da artrite, diminui os sintomas de ansiedade e depressão e está associado ao menor uso de medicamentos e número de hospitalizações. “O sedentarismo, que atinge mais da metade da população brasileira, é uma das principais causas do desenvolvimento do diabetes. Trata-se de uma disfunção do metabolismo de carboidratos, podendo ser hereditária ou adquirida, e é a quarta maior causa de morte em países desenvolvidos. O problema pode ter causas variadas e é resultante da incapacidade do corpo de produzir insulina ou de utilizá-la corretamente. A insulina é uma substância produzida pelo pâncreas exatamente para controlar os níveis de açúcar no sangue”, explica.

A doença se apresenta em dois tipos. O diabetes tipo 1, também conhecido como diabetes insulino-dependente, é normalmente diagnosticado em crianças ou pessoas jovens, cujo pâncreas produz pouca ou nenhuma quantidade de insulina. O diabetes tipo 2 responde por 90% dos casos da doença e atinge indivíduos adultos, geralmente associada à obesidade, cuja deficiência está na resistência à insulina. “O objetivo do projeto é possibilitar a todos os participantes, através de sugestões de atividades físicas e recreativas moderadas, o hábito regular do exercício, de modo a contribuir no desempenho da vida diária e diminuir as complicações ocasionadas pelo diabetes. Além disso, visa a prevenir possíveis doenças, como fraqueza crônica, depressão, doenças do coração e dos pulmões, câncer e diabetes”, ressalta Samir Messias de Freitas.

Fonte: Jornal da Manhã

Compartilhe!