Entenda o que é o pré-diabetes, quais são suas características e o que fazer para reverter esse quadro.

Você verá:

  • Definição do Pré-diabetes
  • Sintomas
  • Exames
  • Questionamentos
  • Fatores de Risco para Diabetes Tipo 2
  • O que fazer para Reverter o Pré-diabetes

 

O diabetes tipo 2 é, já há muitos anos, considerado uma ‘doença epidêmica‘ no mundo. Isso significa que os números de pessoas com essa condição não param de crescer, em ritmo acelerado, em todo o planeta. Como o diabetes ainda não tem cura e é complicado de tratar, nada melhor do que tentar frear essa expansão. E, para isso, foi criado o conceito de ‘pré-diabetes‘.

Uma pessoa com ‘pré-diabetes’, por definição, ainda não está com os níveis de açúcar no sangue tão altos assim. Ela não está com diabetes. Mas está ‘a caminho’ de desenvolver a doença, caso não se cuide.

Se uma pessoa for diagnosticada como ‘pré-diabético’, deve imediatamente tomar certos cuidados de prevenção e modificar os hábitos de vida, a fim de diminuir os níveis de açúcar do sangue.

Sendo assim, o pré-diabetes não é uma doença, mas um alerta. É como se o corpo estivesse avisando que é preciso tomar muito cuidado, senão o diabetes logo, logo irá aparecer. E este é bem difícil de reverter.

 

QUAIS SÃO OS SINTOMAS DO PRÉ-DIABETES?

O pré-diabetes, na grande maioria dos casos, não apresenta sintoma nenhum.

Isso porque o pré-diabetes não é uma ‘doença’, conforme explicado acima. É um conceito médico criado para alertar as pessoas dos perigos do diabetes. Assim, não sendo uma doença, não há sintomas.

Se o pré-diabetes não for revertido, ele pode dar origem ao diabetes tipo 2 – e nesse momento os sintomas iniciais do diabetes tipo 2 começam a surgir, como sede constante, vontade de ir ao banheiro a todo momento para fazer xixi, cansaço e visão embaçada.

 

QUAIS EXAMES ME DIRÃO SE ESTOU COM PRÉ-DIABETES?

Normalmente, o teste mais utilizado é o exame de sangue feito após jejum de 8 horas.

Será medido o nível de açúcar no sangue. No geral, caso o resultado dê menos de 100, a glicemia é considerada normal. Acima de 125 indica diabetes. E a faixa entre 100 e 125 é a de pré-diabetes.

Outro teste que pode ser feito é o da hemoglobina glicada.

Nesse caso, resultados abaixo de 5.6% indicam normalidade, entre 5.7% e 6.4% indicam pré-diabetes e acima de 6.4% indicam diabetes.

 

O PRÉ-DIABETES QUESTIONADO

Se existe uma ‘polêmica’ em relação ao pré-diabetes é a seguinte: vale a pena ‘assustar’ as pessoas, dizendo a eles que estão com pré-diabetes e, portanto, com o diabetes tipo 2 batendo às portas, mesmo sabendo que poucas delas desenvolverão, realmente, a condição?

De acordo com estudos do National Institutes of Health, órgão do governo dos EUA responsável por pesquisas científicas, apenas 5-10% dos pré-diabéticos se tornarão diabéticos tipo 2.

Quanto mais fatores de risco para diabetes tipo 2 uma pessoa tiver (veja-os na listinha logo abaixo), mais perto dos 10% ela estará.

Convenhamos, os números são realmente baixos. Se apenas 10% das pessoas com pré-diabetes desenvolverão diabetes tipo 2, vale a pena assustar os outros 90%? Ou será que é justamente esse ‘susto’ que faz com que a maioria adote hábitos mais saudáveis de vida, cortando o diabetes tipo 2 pela raiz? Eis uma polêmica que muitos especialistas ainda discutem.

 

OS FATORES DE RISCO PARA DIABETES TIPO 2

O conceito de ‘pré-diabetes’ foi criado levando em consideração os fatores de risco já conhecidos para o diabetes tipo 2. Isto é, caso você tenha algum dos fatores listados abaixo, estatisticamente suas chances são maiores de desenvolver diabetes tipo 2 se não seguir bons hábitos de vida. Confira a lista:

  • Peso acima do normal
  • Circunferência da cintura acima do normal
  • Comer mal (excessos de sal, gorduras e açúcares na dieta, com poucas fibras e alimentos naturais)
  • Não praticar atividades físicas
  • Estar acima dos 40 anos
  • Ter parentes próximos com diabetes tipo 2
  • Dormir mal (por exemplo, ter apneia obstrutiva do sono)

 

QUAIS AS MINHAS CHANCES DE PRÉ-DIABETES?

CONFIRA AS PERGUNTAS DO SITE DO CDC

No ano passado, o governo norte-americano criou um website especial sobre pré-diabetes.

Trata-se de uma página bastante simples, contendo basicamente um teste e algumas sugestões do que fazer para reverter os níveis altos de açúcar no sangue.

Se souber inglês, você pode acessar o site clicando aqui.

A seguir, traduzimos o alerta principal da página e as 07 perguntas usadas no questionário sobre riscos de pré-diabetes. Comentamos, em azul, algumas das perguntas do quiz.

TRADUÇÕES DO SITE DO CDC

 

Os números não mentem: 1 em cada 3 adultos norte-americanos está com pré-diabetes.

Com um pouquinho de exercícios e mudanças na dieta, essa situação geralmente pode ser revertida. Sejamos francos: há milhões de motivos pelos quais não temos tempo para seguir hábitos saudáveis de vida. Crianças, trabalho, vídeos de gatinhos na internet – tanta coisa nos ocupa! Mas, seja qual for o motivo, o pré-diabetes é real. Então descubra se você tem pré-diabetes fazendo o teste a seguir. Você não se arrependerá.


01) Você tem mãe, pai, irmã ou irmão com diabetes?
Um histórico familiar de diabetes pode contribuir para o seu risco de diabetes tipo 2.


02) Você já foi diagnosticado com hipertensão arterial (pressão alta)?
A hipertensão arterial contribui para o seu risco geral de diabetes tipo 2.


03) Quantos anos você tem?
Quanto mais velho você for, maior o risco de diabetes tipo 2.
Comentário: No teste, estar acima dos 40 anos de idade já um fator de risco para o pré-diabetes.


04) Qual a raça ou etnia melhor te descreve?
As pessoas de certos grupos raciais e étnicos são mais propensas a desenvolver diabetes tipo 2 do que outras.
Comentário: Ainda não se sabe o motivo, mas diversos estudos científicos apontaram chances significativamente maiores de pessoas de certas etnias desenvolverem diabetes tipo 2. Asiáticos, negros e indígenas entram nessa lista.


05) Você é fisicamente ativo?
Ser inativo pode aumentar seu risco de diabetes tipo 2.


06) Você é um homem ou uma mulher?
Os homens são mais propensos do que as mulheres a ter diabetes não diagnosticada; uma razão pode ser que eles costumam visitar o médico com menor regularidade.


07) Qual é a sua altura?
A combinação de seu peso e altura nos permite conhecer seu Índice de Massa Corporal ou IMC. As pessoas com IMCs maiores estão em maior risco.
Comentário: Saiba mais sobre o IMC e calcule o seu escore aqui!


 

O QUE FAZER SE EU FOR DIAGNOSTICADO COM PRÉ-DIABETES?

A primeira coisa é não se assustar demais. O pré-diabetes nada mais é do que um alerta. Um alerta de que está na hora de mudar seus hábitos, senão seu corpo irá sofrer no futuro.

Entre as dicas mais eficientes para reverter esse quadro estão:

Cuidar da alimentação: evitar excessos de alimentos gordurosos, doces e com muito sal. Isso inclui diminuir bastante a ingestão de frituras, carnes vermelhas e alimentos processados. Aumentar a ingestão de legumes, frutas e alimentos integrais ajuda a manter a saúde em pique total!

Praticar atividades físicas: exercitar-se ajuda a controlar o peso, melhora a pressão sanguínea e o controle da glicemia, além de promover benefícios generalizados em todo o corpo!

 

Para mais dicas sobre saúde e diabetes, explore nossos arquivos aqui no Diabeticool.

Compartilhe!