Pesquisa comprova que dieta chilena combate síndrome que causa diabetes

0

Em teste feito no Chile, depois de um ano, quase metade dos trabalhadores que tinham ‘síndrome metabólica’, saiu da faixa de risco.

Pense em um casamento perfeito. O vinho faz um par e tanto com qualquer prato mediterrâneo. Peixes, frutas, verduras e legumes fresquinhos. Não importa a época do ano. Tudo isso chega em abundância nos mercados chilenos. O generoso clima mediterrâneo garante diferentes safras o ano inteiro. Estamos falando dos ingredientes de uma dieta que não exige sacrifícios. Aliás, a regra é comer com prazer, e os benefícios são enormes, tanto para o corpo quanto para a alma.

A conclusão é de um estudo feito na Universidade Católica do Chile. Incentivar o consumo dos ingredientes da dieta mediterrânea à “la chilena” virou campanha no país. Motivo tem de sobra. Uma pesquisa feita pela Universidade Católica com 150 trabalhadores da indústria comprovou: estes alimentos combatem a chamada “síndrome metabólica”, que provoca diabetes, doenças do coração e Alzheimer.

Os pesquisadores fizeram o teste: ofereceram mais frutas, verduras e peixes em restaurantes de empresas chilenas. O resultado foi surpreendente. Depois de um ano quase metade dos trabalhadores que tinham ‘síndrome metabólica‘, saiu da faixa de risco.

Outra surpresa para os cientistas foi descobrir os poderes de uma antiga receita indígena: um tempero batizado de mérken pela tribo mapuche.

Ele é fantástico para a saúde. Além de fonte da juventude tem outros efeitos comprovados pela ciência. O merkén tem propriedades antioxidantes, tem efeito anti-inflamatório e analgésico. Pequenas pitadas acentuam o sabor de qualquer prato, principalmente frutos do mar.

No Chile, dizem que o pozinho tem também outras propriedades, como combater “mal de ojo”, ou seja, olho gordo.

Fonte: G1

 

Compartilhe!