Pata de vaca, quiabo…podemos curar o diabetes através dos alimentos?

2

O dr. Carlos Eduardo Couri responde a uma das questões mais controversas do tratamento do diabetes. Acompanhe a resposta.

cura do diabetes por alimentos naturais

Parece ótimo poder curar uma doença incurável através de alimentos baratos e fáceis de encontar – mas será que isso é mesmo possível?

Suco de noni, chá de pata de vaca, água de quiabo, etc … enfim, podemos curar o diabetes com terapia baseada em alimentos?

A cada semana, no consultório, respondo perguntas de meus pacientes sobre diferentes formas de “curar” ou tratar o diabetes. São várias as histórias:

  • Suco de noni
  • Água de quiabo
  • Chá de pata de vaca
  • Chá de insulina
  • Etc

+ Relembre toda a polêmica sobre a água de quiabo aqui!

A natureza nos dá a grande maioria das substâncias que são usadas pela indústria farmacêutica. Um belo exemplo disso é da planta chamada dedaleira. Esta planta contém uma substância que ajuda o coração a bater mais forte. A molécula em questão, chamada digitálico, foi purificada, concentrada e colocada em cápsulas. A diferença das cápsulas e a planta é que na planta a substância está presente apenas em quantidades muito reduzidas. Daí a necessidade de concentrar esta quantidade pura em cápsulas. Caso contrário teríamos de ingerir mais de 30 litros de chá de dedaleira todos os dias para ter efeito parecido.

No Brasil, por motivos diversos, muitas pessoas não têm acesso regular à saúde de qualidade. Daí acabam recorrendo a medidas alternativas de saúde. Os chás e as garrafadas são um bom exemplo disso.

Eu até acredito que muitas destas terapias ditas “alternativas” ajudam a tratar o diabetes e outras doenças. Ainda mais porque quando fazemos qualquer tratamento intuitivamente tendemos a colaborar mais com alimentação saudável e exercícios regulares.

água de quiabo Luciano Huck

A “água de quiabo”, feita famosa pelo programa “Caldeirão do Huck”, foi um dos assuntos mais comentados ano passado no mundo do diabetes.

Para se lançar um medicamento para tratamento do diabetes estima-se ser necessário o investimento de cerca de 1 bilhão de dólares. Este gasto é para testar o seu efeito em milhares de voluntários, por longo tempo – antes mesmo de ser lançado no mercado. Vale destacar que, apesar do alto investimento, a grande maioria dos medicamentos estudados é rejeitada.

Por isso que nosso grupo de pesquisa da USP-Ribeirão Preto estuda células-tronco em humanos há mais de 10 anos e ainda não temos certeza se é seguro e totalmente eficaz para todas as pessoas com diabetes.

Infelizmente, tenho tido notícias de inúmeras pessoas que param seu tratamento de diabetes com comprimidos ou com insulina e passam a usar chás e ervas. Não raramente estas pessoas passam mal e acabam tendo de retomar o tratamento convencional. Já vi casos até de óbito…

Não sou pessimista nem cético, mas apenas penso que para se provar que uma dada planta ou substância (ou mesmo remédio) seja útil para o tratamento de qualquer doença é necessário que seja testada em milhares de pessoas por muito tempo… só a palavra do seu vizinho ou parente não é suficiente, por mais que seja bem intencionado!!

Por isso, evite usar qualquer tipo de substância e nunca suspenda um tratamento proposto sem antes discutir com seu médico.

Vamos em frente!!!

Por Dr Carlos Eduardo Barra Couri PhD em Endocrinologia pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto-USP, pesquisador da Equipe de Transplante de Células-Tronco da USP-Ribeirão Preto. Conceituado e premiado autor de pesquisas – inclusive em publicações internacionais -, materiais educativos e livros sobre o diabetes, em especial o tipo 1, e terapias com células-tronco.

Site: http://carloseduardocouri.blogspot.com.br ; www.twitter.com/cecouri

Compartilhe!
  • ELIZABETH

    EU SOU DIABETICA VAI FAZER 6ANOS,MUITO COMPLICADO.
    DEPENDE DO QUE EU COMO MINHA CABEÇA FICA COMO SE TIVESSE UM CORAÇÃO PULSANDO,MUITO RUIM. PARECE QUE MINHA CABEÇA VAI EXEMPLODIR UMA SENSAÇÃO HORRÍVE,FICO EXTRASSADA MAU HUMORADA SEM PACIÊNCIA,PARECE
    QUE VOU ENLOUQUECER.

  • Que pesado, Elizabeth! Que tipo de alimento que causa estas sensações na senhora?
    Outra pergunta: a senhora tem cuidado da quantidade de açúcar no sangue (glicemia) com que frequencia?
    Abraços, e melhoras!