Paciente dependente de insulina continua sem atendimento na SMS

0

Diabético entra na justiça por insulina especial, ganha a ação, mas não recebe o medicamento.

No último dia 28 de outubro, o Jornal da Manhã publicou matéria para falar sobre o drama de Luís Guilherme Lopes Silva, jovem de 22 anos, portador de diabetes tipo 1 grave, que não vem conseguindo receber da Prefeitura uma insulina especial que ele precisa para o controle da doença. A família entrou com ação na Justiça há cerca de cinco anos para conseguir o produto e um leite especial para quem tem o metabolismo lento, em função da diabetes.

De acordo com Lúcia Helena Nicoline Lopes, mãe e procuradora de Luís Guilherme, esta não é a primeira, nem a segunda vez que isso acontece. Ele ficou de abril a junho e, ainda, nos meses de setembro, outubro e dezembro de 2013 sem receber a insulina Novorapid e o leite Glucerna. E mesmo após a virada do ano, ela conta que não há qualquer perspectiva de que o fornecimento seja restabelecido, pois a única informação que recebe é de que o problema se deve a atraso da empresa fornecedora.

Após contato da reportagem em outubro, a Secretaria de Saúde esclareceu que a compra do medicamento, do leite e de outros nutrientes foi realizada no início do ano passado, mas o fornecedor teria atrasado a entrega. A pasta ressaltou ainda que a atual administração pegou a farmácia totalmente desabastecida e afirma ter feito decreto emergencial para comprar os medicamentos de mandado judicial com mais rapidez. No entanto, o problema ainda persiste em 2014.

Além desses insumos, o paciente utiliza a insulina Lantus, fornecida pelo Estado, e nunca teve problemas para recebê-la, ao contrário da insulina Novorapid, fornecida pelo município, que voltou a faltar. Lúcia Helena conta que a fim de não prejudicar o tratamento do filho em função da falta do medicamento, ela vem comprando os itens que faltam com o dinheiro que ganha. Para aplicação do medicamento quatro vezes por dia, Luís Guilherme precisa de dois frascos da insulina Novorapid por mês, os quais têm sido comprados por cerca de R$80. Porém, os gastos começaram a apertar no orçamento familiar e ela se vê sem condições de continuar arcando com o medicamento garantido por meio de medida judicial.

Segundo a assessoria de comunicação da Secretaria de Saúde, o atraso na entrega da insulina Novorapid deve-se ao recesso de fim de ano dos laboratórios, conforme foi repassado pelo fornecedor. “A nota de empenho está pronta desde novembro e os medicamentos estão previstos para chegar no dia 15 de janeiro. De qualquer forma conseguimos a insulina para o paciente nesta sexta-feira (10). No caso do leite Glucerna, o medicamento tem em estoque e não estamos com falta na farmácia”, afirma nota.

Fonte: Jornal da Manhã

 

Compartilhe!