O estímulo que faltava para mudar de vida

0

Uma mulher de mais de 100kg recebe a notícia de que tem diabetes. O diagnóstico a faz revolucionar seu dia a dia, com resultados muito melhores do que o esperado.

“Eu nunca acreditei que chegaria um dia em que eu sentisse amor por mim mesma, de verdade, sentisse amor pelo meu corpo, sentisse amor pela minha vida do jeito que ela está”. Este dia, felizmente, chegou à Lori Yates, a autora da frase. Tamanha alegria em sua vida tem tudo a ver, por mais estranho que possa parecer, com o diagnóstico de diabetes tipo 2 que recebeu em 2009. A história desta mulher é um exemplo de determinação, coragem e resiliência para todos que lutam com a doença – e também com a balança.

A transformação que se deu no corpo de Lauri em apenas um ano é notável.

A transformação que se deu no corpo de Lauri em apenas um ano é notável.

Em 2009, apenas quatro anos atrás, Lori era uma norte-americana que carregava abusivos 140kg em seu pouco 1,60m de altura. O cardápio diário de Lori faz qualquer coração saudável pular em desespero só de lê-lo: pizzas, cookies, batatas fritas e pelo menos dois litros de refrigerante. Todos os dias. Alimentos saudáveis e nutritivos estavam fora de questão e da despensa da srta. Yates.

“Eu trabalhava em serviços altamente estressantes, em áreas isoladas. Era mais fácil consumir alimentos do que me levantar e praticar exercícios. Eu sabia que estava ficando gorda, mas, de verdade, não tinha idéia do quão fora de controle minha alimentação havia se tornado”, relembra Lori.

Se em 2009 sua situação – e silhueta – era lastimável, em 2012 Lori Yates já havia se transformado em uma nova mulher. O 1,60m se manteve – mas foi apenas a altura que não mudou. Hoje, Lori pesa cerca de 72kg, se alimenta bem, está muito mais saudável e virou uma maníaca por exercícios físicos. A causa desta mudança toda? O diabetes.

 

O diagnóstico de uma doença pode ser uma boa notícia?

Há quatro anos, Lori percebeu que sua vida não rumava um caminho bom e esperançoso. Pensamentos suicidas cruzavam sua cabeça rotineiramente. Ela estava depressiva e constantemente triste. Tudo era difícil de fazer: andar pelas ruas cansava-a rapidamente, ela sempre perdia o fôlego e tinha dolorosas cãimbras. Até mesmo descer do carro era um tormento, já que era comum ficar “entalada” nos veículos. Lori, então, decidiu ir ao médico.

Após exames de rotina, o doutor deu o diagnóstico que iria mudar sua vida para sempre: Lori tinha diabetes tipo 2. Se não se cuidasse logo, o médico advertiu, ela certamente teria problemas vasculares e sofreria enfartos e derrames. Diferente de muitas pessoas, que poderiam encarar tais notícias com desespero e auto-comiseração, Lori decidiu dar um basta aos fatores que a tornavam tão infeliz e doente. Ela iria mudar sua história – e a promessa, é bom dizer, não ficou apenas nas palavras.

Lori e sua personal trainer, uma ex-obesa que foi fundamental na transformação da americana.

Lori e sua personal trainer, uma ex-obesa que foi fundamental na transformação da americana.

Lori matriculou-se em uma academia perto de sua casa na mesma semana. Logo estava praticando exercícios físicos três vezes por semana, durante horas. A dedicação foi tamanha que ela recebeu um prêmio, dado pela própria academia, por seu esforço incomum. Esforço este que mostrou resultados rápidos: em um ano, Lori já havia perdido mais de 50kg. Segundo ela, foram de enorme importância neste processo o monitoramento contínuo de sua alimentação, as fotos que ela própria tirava de seu corpo (um estímulo para continuar melhorando sempre) e os conselhos da personal trainer, que também já havia sido obesa. Todos estes itens, vale lembrar, concordam com o que está na lista do professor Mark Trenell com as dez melhores dicas para combater o diabetes [relembre quais são estas dicas neste link].

A perda de peso trouxe consigo uma melhora incrível na auto-estima de Lori Yates, relacionada também à melhor saúde e disposição no dia a dia. Ao perceber que seus esforços estavam dando certo, Lori passou a encarar a vida de uma nova e empolgante maneira. “Agora, eu posso fazer qualquer coisa que eu decida, na minha mente, fazer. Em 2011, eu decidi que iria participar de 12 competições esportivas e atingi este objetivo. Em 2012, eu decidi que iria participar de 14 competições esportivas, e fiz isso. Minha vida é cheia de energia. Eu sou fisicamente forte e saudável”, conta Lori, orgulhosa.

E haja energia para encarar todos os desafios físicos dos quais Lori participa! A hoje saudável americana compete em eventos de ciclismo, levantamento de peso olímpico, Crossfit, maratonas e meia-maratonas, corridas em escadas e na lama. E acha tudo isto uma delícia, definido-se como uma “fanática por fitness”.

 

O que fazer quando nem tudo são flores

Lori admite que seu percurso de pessoa doente e pouco atraente para a mulher saudável e cheia de vitalidade de hoje não foi fácil. Ao longo destes quatro anos, ocorreram muitas recaídas. Elas nunca foram motivo, porém, de desistência – e eis o segredo do sucesso de Lori. Cada vez que sentia vontades incontroláveis de comer ou de deixar os exercícios físicos de lado, a guerreira Yates focava suas atenções no controle alimentar, tirava ainda mais fotos de si mesma e voltava à ativa, com a ajuda da personal. “Eu inventei um lema pessoal: Não Voltar Atrás. Ele me ajudou a continuar evoluindo”, revela.

Hoje, Lori é uma mulher ativa, saudável, amante dos esportes e muito bonita.

Hoje, Lori é uma mulher ativa, saudável, amante dos esportes e muito bonita.

As lições que Lori Yates aprendeu durante sua jornada da saúde são importantes para qualquer pessoa. “Eu aprendi que balanças não significam nada e, fora as vezes que as uso para saber a quantas ando, eu me mantenho longe delas. Para monitorar como estou me saindo, eu uso o caimento de minhas roupas, meus níveis de energia, humor e de sono.” “Minha depressão não chega nem perto da intensidade que tinha antes. Minha auto-estima e confiança são fortes e minha vontade de me manter saudável é inquebrável.” – uma história certamente bem diferente de poucos anos atrás. E que termina – para possível espanto de seu médico! – com um final saudável e feliz: além de todas as vantagens que a perda de peso e do sedentarismo trouxeram à ela, Lori ainda por cima não é mais diabética. Os sintomas da doença desapareceram assim que ela começou a perder peso.

 

 

Compartilhe!