Gastroparesia – um problema no estômago comum em diabéticos

0

Já ouviu falar neste termo médico, a “gastroparesia”? Descubra o que é isto e como o diabetes pode influenciar o funcionamento do seu estômago!

sintomas gastroparesia diabetica

Quem está com diabetes já há algum tempo bem sabe que a doença, quando não cuidada da maneira correta, pode causar diversos efeitos negativos no corpo. Uma das complicações mais prevalentes é o dano aos nervos, que geralmente leva o diabético a ter menor sensibilidade nos membros ou sentir formigamentos nas mãos e pés. Porém, há outra conseqüência menos conhecida dos danos aos nervos e que impacta muito a vida de quem convive com a doença: trata-se das alterações no funcionamento correto do estômago.

 

O QUE O EXCESSO DE AÇÚCAR NO SANGUE TEM A VER COM A BARRIGA?

A idéia é simples: o excesso de glicose no sangue (decorrente do diabetes) gera, ao longo do tempo, avarias nos vasos sangüíneos que alimentam os nervos. Com isto, o funcionamento deles fica comprometido. Como os nervos não trabalham direito, os órgãos que são controlados por eles passam, também, a apresentar falhas.

É o que acontece no caso da gastroparesia, um nome complicado para explicar que o estômago demora demais para se esvaziar, isto é, para liberar o alimento digerido para o intestino. Quem controla este esvaziamento é o nervo vago, e se ele está com problemas causados pelo excesso de açúcar no sangue, certamente o estômago será prejudicado.

Quando o estômago retém o alimento digerido por muito tempo, vários sintomas bastante desagradáveis são sentidos pela pessoa. Entre eles estão:

  • Náusea e vômitos
  • Inchaço abdominal, mesmo após comer só um pouquinho
  • Azia
  • Espasmos na região do estômago
  • Falta de apetite
  • Perda de peso
  • Refluxo gastroesofágico
gastroparesia diabetes

Na gastroparesia, os alimentos acumulam-se no estômago e passam com dificuldade para o intestino, gerando diversos efeitos desagradáveis no corpo.

Além disto tudo, a gastroparesia ainda dificulta o controle da glicemia, já que torna os níveis de açúcar no sangue bem erráticos. Pouco após as refeições, as leituras da glicemia deveriam ser altas, porém como o alimento fica retido no estômago, elas aparecem baixas na hora da medição. Quando finalmente o alimento é “liberado” para o intestino, um pico enorme de glicemia aparece.

Caso você tenha algum dos sintomas descritos, procure rapidamente orientação médica. Existem vários exames não invasivos que confirmam o diagnóstico da gastroparesia.

 

É POSSÍVEL TRATAR ESTA GASTROPARESIA?

Outra boa notícia é que é possível tratar – e, muitas vezes, curar – este problema estomacal. A maneira mais fácil de controlar a gastroparesia é equilibrar a glicemia, seja por meio de medicamentos, seja através da reeducação do paciente.

Além disso, mudanças na dieta são muito bem-vindas. Aconselha-se comer menos alimentos ricos em gordura e fibras. Tanto uma quanto a outra dificulta a digestão e, naturalmente, faz com que a comida fique retida por mais tempo no estômago. Evitar alimentos gordurosos e cheios de fibras é um bom passo para acelerar a passagem da comida do estômago ao intestino e ajudar a melhorar os sintomas da gastroparesia diabética.

Compartilhe!