Estudo do Incor quer entender o coração do diabético

0

Projeto de pesquisa busca voluntários para avaliar se cirurgia bariátrica em diabéticos tem influência na saúde cardiovascular dos pacientes.

Procuram-se candidatos

O Incor, hospital vinculado à Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, está à procura de voluntários para um pesquisa que visa determinar a influência da cirurgia de redução de estômago em diabéticos obesos ou acima do peso. A meta é avaliar se, após o procedimento cirúrgico, os pacientes apresentam menores chances de desenvolver doenças cardiovasculares.

Quem quiser concorrer a uma das 10 vagas que serão sorteadas para a cirurgia deverá se adequar a um estrito perfil. O candidato tem de ser homem, entre 18 e 65 anos, ter circunferência abdominal acima dos 102cm, ter sido diagnosticado com o diabetes há menos de dez e há mais de 2 anos e possuir Índice de Massa Corporal entre 28 e 35 (aprenda aqui a calcular seu IMC!). Além disso, de acordo com o jornal O Estado de São Paulo, “os voluntários (…) não podem ser dependentes de álcool, cigarro ou drogas, nem ser portadores de doenças crônicas graves não relacionadas à obesidade, como câncer, Aids e distúrbios autoimunes.”

“Nosso objetivo é entender quais são as alterações metabólicas envolvidas e medir o impacto na redução do risco cardiovascular”, afirmou Fernanda Reis de Azevedo, responsável pelo projeto de pesquisa. De acordo com a matéria do Estadão, a pesquisadora ainda afirmou que “investigações recentes também têm mostrado que diabéticos operados apresentam melhora na glicemia antes mesmo que ocorra uma perda de peso significativa.”

Isto é bem verdade. Todavia, uma coisa é relacionar a perda de peso, resultado da cirurgia bariátrica, à melhora na glicemia; outra é correlacioná-la a melhoras na saúde cardiovascular. Quanto a este ponto, o infame estudo Look AHEAD (Action for Help in Diabetes), do governo norte-americano, pode fornecer algumas pistas.

As já clássicas conclusões do Look AHEAD

De acordo com nossa matéria “Quando o estudo sai pela culatra“, de 22 de outubro, o Look AHEAD foi um amplo trabalho de acompanhamento da saúde de milhares de diabéticos lançado nos EUA há mais de dez anos. “O objetivo era simples: provar que pessoas com diabetes tipo 2 e acima do peso, quando submetidas a tratamentos intensivos de perda de peso e aumento da atividade física, tornavam-se menos vulneráveis a doenças cardiovasculares – como enfartes e derrames.”

Todavia, os resultados preliminares do projeto foram tão contundentes que sua continuação foi cancelada por futilidade. Uma das conclusões do trabalho é que perder peso não influencia em nada os riscos de doenças cardiovasculares. “Apesar do estudo ter mostrado que a perda de peso tem muitos efeitos positivos para a saúde de pessoas com diabetes tipo 2, esta perda não reduziu o número de eventos cardiovasculares”, afirmou a Dra. Rena Wing, presidente do grupo Look AHEAD e professora de psiquiatria e comportamento humano na Brown University. Alguns destes efeitos positivos: diminuição da dependência de remédios para o diabetes, menor incidência de apnéia obstrutiva do sono, maior mobilidade física e aumento considerável na qualidade de vida. Ótimas notícias, de qualquer maneira!

 

Compartilhe!