Dieta líquida pode combater obesidade e diabetes, diz estudo

0

Do portal Terra:

As dietas líquidas que propõem a substituição de refeições por milk shakes são mal vistas por nutricionistas. Os especialistas normalmente defendem que a perda rápida de peso pode ser ruim para o organismo e esse tipo de dieta não garante que a pessoa aprenderá a comer de forma saudável após o emagrecimento. E de fato muitas pessoas voltam a ganhar peso depois de dietas líquidas. Porém, uma pesquisa, divulgada pelo jornal Daily Mail, sugere que dietas líquidas de baixa caloria podem combater a obesidade e até reverter alguns casos de diabetes tipo dois.

O motorista de táxi escocês James Aitken, por exemplo, é um dos pacientes que se beneficiou com essa nova abordagem. Há um ano, com 1,67 m, ele pesava 165 kg e seu IMC era de 56, dados suficientes para que fosse diagnosticado como alguém com obesidade mórbida. Ele chegou a cogitar desistir da profissão, já que sua barriga era pressionada pelo volante, enquanto isso, o taxista também foi obrigado a passar a injetar insulina para controlar sua diabetes. “Até a Lola, minha cachorra, estava engordando, porque eu não podia levá-la para caminhar mais pois meus joelhos doíam muito. Eu queria brincar com meu neto Cooper, mas agachar era impossível”, contou.

Muitos médicos afirmaram que a única maneira de James perder de 15 kg a 30 kg, o mínimo recomendado para fazer diferença na condição geral de sua saúde, seria fazer uma cirurgia de redução de estômago. “Eu estava nervoso de ter que fazer a operação pelos riscos e também por ter ouvido falar que grande parte dos pacientes precisam fazer uma nova cirurgia mais tarde”, disse.

No entanto, James decidiu fazer parte de um programa do governo escocês que tentava testar a eficácia de uma dieta líquida contra o sobrepeso. Durante três meses o taxista ingerir todos os alimentos na forma de bebidas nutricionalmente balanceadas. As vitaminas de frutas e alimentos salgados forneciam 800 calorias por dia. “É um choque inicial para os pacientes. Essas pessoas poderiam ingerir de 3 a 4 mil calorias por dia. Então, nos primeiros dias eles passam fome, mas, surpreendentemente, a maioria se adapta rapidamente e dentro de uma semana já não sentem tanto desejo por alimentos”, relatou a enfermeira Mhri Swanson.

Ao final do tratamento James havia perdido 38 kg e atingiu um IMC de 43,5. Um ano depois, ele ainda mantém um plano de alimentação saudável e não apenas manteve o peso, como perdeu ainda mais. Atualmente ele está perto dos 120 kg, graças também a visitas regulares a academia. Porém, o mais importante são as melhorias em sua saúde. Agora ele não apenas pode abandonar o uso de injeções de insulina como até diminuiu o uso de medicamentos, já que sua glicose está sob controle.

De acordo com a edição de fevereiro do British Journal of General Practice, cerca de 30% das 90 pessoas que participaram da pesquisa perderam entre 15 e 20 kg e conseguiu manter o peso durante um ano.

As autoridades escocesas estudam a aplicação de dietas líquidas a partir do sistema público de saúde. Mike Lean, professor de nutrição da Universidade de Glasgow que liderou a pesquisa, esta discutindo sobre o financiamento de um estudo ainda maior com 200 pessoas para estudar o benefício da dieta para diabéticos. “O aumento do número de pessoas obesas ou diabéticas custará bilhões. Se os resultados da pesquisa se repetirem isso poderia representar uma economia muito grande”, defendeu o especialista em obesidade Tont Leeds.

Outro benefício para James, foi a melhora das dores nos joelhos. “Lola está satisfeita também, porque nós estamos saindo para passear de novo e depois eu ainda tenho energia para brincar com Cooper”, contou.

De fato, na Dinamarca, uma dieta líquida está prestes a se tornar a primeira linha de tratamento para pessoas com osteoartrite do joelho. O tratamento nasceu através de um estudo realizado com 175 pacientes. Durante a pesquisa eles não apenas perderam muito peso com 60% apresentou também melhora significativa na dor e incapacidade de realizar tarefas.

“Até alguns anos atrás a única oferta a esses pacientes era o uso de analgésicos e conselhos para perder peso. A osteoartrite normalmente torna os ossos fracos, reduzindo a densidade mineral óssea. E a dieta líquida pode melhorar essa condição porque permite que o paciente ingira a dose diária recomendada de todos os aminoácidos, vitaminas e minerais. Receber uma dose extra de vitamina D, por exemplo, é vital para a reconstrução dos ossos”, contou o reumatologiata Henning Bliddal.

De acordo com o especialista, cerca de 10% das pessoas com mais de 55 anos têm problemas nos joelhos e está acima do peso. A dieta é uma alternativa para que esses pacientes melhorem as condições da cartilagem danificada. O estudo dinamarquês, publicado no European Journal of Clinical Nutrition, em 2011, concluiu que a dieta líquida foi “eficaz e segura”.

Continue lendo aqui!

Compartilhe!