Dicas de Alimentação para Turbinar o Cérebro dos Adolescentes!

0

Estudo australiano compara aptidões cerebrais de jovens e constata a importância da boa alimentação desde cedo.

A adolescência é um período repleto de mudanças, tanto físicas quanto mentais. O corpo trabalha em ritmo acelerado a fim de preparar o terreno para a chegada da idade adulta – e isto inclui adaptações no funcionamento do nosso cérebro. As diversas modificações que acontecem na puberdade necessitam de energia e matéria prima para acontecer, e o combustível para isto vem dos alimentos que ingerimos. Será que, então, pessoas que se alimentam mal durante a adolescência podem apresentar aspectos psicológicos não muito favoráveis no futuro?

Uma nova pesquisa ajuda a responder a esta questão. Cientistas australianos acompanharam o desenvolvimento cognitivo de mais de 600 crianças. Elas responderam a um questionário quando tinham 14 anos sobre seus hábitos alimentares. Três anos depois, aos 17, os pesquisadores testaram várias aptidões de cada um deles para tentar encontrar um elo entre dieta e funcionamento cerebral.

Os resultados parecem claros: alimentar-se mal durante a adolescência leva a uma menor performance cerebral.

 

O QUE COMER (E O QUE EVITAR!) QUANDO SE ESTÁ CRESCENDO

A pesquisa, publicada na última edição do Journal of Child Psychology and Psychiatry, mostra que os jovens que tinham uma dieta baseada em fast-food, comidas industrializadas, muita carne vermelha e processada, frituras e refrigerantes, tiraram as menores notas nos testes cognitivos.

Particularmente, aqueles que mais comiam frituras tiveram as menores notas.

Os testes mediram aspectos cerebrais como tempo de reação, função psicomotora, atenção visual, capacidade de aprendizado e memorização.

“A adolescência representa um período crítico para o desenvolvimento cerebral. É possível que a má alimentação seja um fator de risco significativo durante esta fase (…), uma suposição que nossas descobertas corroboram”, afirmou a dra. Anett Nyaradi, principal autora do estudo.

Em contrapartida aos jovens que comeram mal, aqueles que se alimentavam mais habitualmente com frutas e vegetais folhosos tiveram as maiores notas.

Porque comer vegetais folhosos (como por exemplo couve, acelga, brócolis, espinafre, rúcula etc) faz bem à cabeça? Segundo os pesquisadores, estes alimentos possuem grandes quantidades de folato, uma molécula importantíssima para o bom desenvolvimento cerebral.

 

UM ESTUDO PIONEIRO

Não é a primeira vez que trabalhos científicos associam má alimentação durante a puberdade com problemas na cognição. Porém, o estudo da dra. Nyaradi é o primeiro a analisar a dieta de maneira completa e não focar em apenas um nutriente.

“Estas descobertas têm implicações importantes para políticas de saúde e programas de incentivo à qualidade de vida”, afirmou a pesquisadora.

Fonte: SobrePeso

Compartilhe!