Como evitar a pior conseqüência do pé diabético

2

Preocupados com número de amputações em diabéticos, entidades de saúde lançam estudo com soluções para o grave problema.

cuidados com os pes diabetes

Diversas entidades de saúde inglesas, incluindo a ONG Diabetes UK, a Sociedade de Podologia e o Ministério da Saúde local, lançaram um abrangente estudo sobre o pé diabético. A principal conclusão do trabalho é que um número enorme de amputações poderia ser evitado caso houvesse atendimento mais rápido para os pacientes com diabetes.

Só no Reino Unido, mais de 6.000 amputações dos membros inferiores são realizadas a cada ano decorrentes de complicações do diabetes. A taxa é vinte vezes maior do que a da população em geral. De acordo com o trabalho, 4.800 destas cirurgias poderiam ser evitadas através de medidas bem simples de saúde.

Se estes números parecem altos, espere até ler os brasileiros. Aqui no país, ocorrem anualmente mais de 55 mil amputações decorrentes do diabetes. O estado “campeão” no número destas cirurgias é o Alagoas, com a triste cifra de 42 mil cirurgias do tipo em 2010.

+ Para saber mais: “Neuropatia, palmilhas e os pés dos diabéticos

+ Leia também sobre uma maneira interessante de curar o pé diabético: “Tratando o pé diabético com luz

As recomendações dos especialistas para um melhor tratamento do pé diabético incluem que cada hospital do país possua uma equipe multidisciplinar de plantão para o tratamento imediato e urgente dos membros de pacientes.

Além disso, orienta-se que médicos identifiquem pessoas com alto risco de desenvolver problemas nos pés e infecções, mantendo-as sob constante observação e, também, educando-as sobre como identificar sinais de perigo e o que fazer nestas situações.

“Se todo hospital tivesse uma equipe multidisciplinar para cuidados com os pés e garantisse o acesso a esta equipe dentro de 24 horas, isto faria uma enorme diferença nas taxas de amputação”, garantiu Barbara Young, da Diabetes UK. Segundo Young, estas medidas, aliadas às demais apresentadas no relatório, ajudariam o sistema público de saúde britânico a economizar dinheiro…e membros.

 

Compartilhe!
  • afonso

    Olá sou mais um pobre diabético tipo 2 ando num médico de familia por não ter dinheiro para ir a um particular é muito caro e eu daqui a mais nem para comer eu, a minha mulher e filha já mal dá para os remédios da farmácia de nós os tres.é só um ordenado a entrar em minha casa e é pequeno .Para eu me ajudar a mim proprio vou tomando alguns remédios caseiros que me têm ajudado muito com os diabétes

  • sanderlucio cunha

    tem alguma clinica de especialidade aqui em florianopolis