Como está a saúde dos adultos no Brasil? Não tão boa assim…

1

Exclusivo: estudo mostra que maioria dos brasileiros está com algum fator de risco grave para doenças cardiovasculares e diabetes. Veja os dados do trabalho.

populacao brasileira diabetes

Como está a saúde dos adultos brasileiros? Esta é a pergunta que um novo estudo pretende responder. Cientistas de seis grandes Universidades brasileiras se uniram em um projeto pioneiro no país: descobrir o que causa e como se dá a progressão, em adultos, de doenças crônicas como o diabetes e problemas cardiovasculares.

O trabalho é importante porque hoje, no país, 72% das mortes são decorrentes das doenças cardiovasculares (como enfartes e derrames) e demais problemas crônicos de saúde.

Os primeiros resultados do trabalho, iniciado em 2008, serão publicados na próxima edição da revista científica International Journal of Epidemiology. Os dados são referentes à saúde de mais de 15 mil funcionários públicos das seis Universidades, com idade entre 35 e 74 anos e que foram entrevistados sobre sua saúde e hábitos de vida (como fumar e beber), além de realizaram vários exames (urina, plasma sangüíneo, DNA) ao longo dos últimos anos.

As informações que serão publicadas são referentes à fase inicial do estudo, que durou de 2008 a 2010. Uma nova fase de coleta e análise de dados começou em 2012 e continua este ano.

 

O ESTADO ATUAL DA SAÚDE DOS ADULTOS NO BRASIL

Muitos dados interessantes já foram conseguidos pelo grupo de pesquisas. Eles lançam luz sobre a saúde da população adulta brasileira e revelam caraterísticas importantes para a prevenção de doenças crônicas.

Por exemplo, existem fatores de risco clássicos para doenças crônicas, reconhecidos há décadas como fortes influência negativas à saúde. Qual a porcentagem dos adultos que possui algum deles? Os dados revelam que:

  • 20.3% dos adultos têm tolerância à glicose diminuída;
  • 35.8% estão com a pressão alta;
  • 61.5% têm colesterol alto;
  • 63.1% estão com excesso de peso.
vida sendentaria diabetes

Sedentarismo: o “vilão” mais comum da boa saúde.

Estas informações, preocupantes, talvez sejam reflexo do fato de que quase 80% dos entrevistados revelaram não praticar atividades físicas regularmente durante o tempo livre.

Tantas pessoas com excesso de peso e colesterol alto certamente se reflete nas estatísticas de doenças crônicas. Segundo o estudo:

  • 4.7% têm histórico de alguma doença cardíaca;
  • 19.7% das pessoas estão com diabetes;
  • 26.7% tem algum distúrbio mental.

Pelo lado positivo, os pesquisadores encontraram um número elevado de ex-fumantes (30% dos entrevistados) em comparação com a porcentagem daqueles que são fumantes atualmente (13%).

De acordo com os autores do trabalho, os dados são importantes para que novas políticas de saúde pública sejam estudadas e implantadas. A população brasileira está envelhecendo e engordando, e nosso sistema de saúde deve se adequar a esta nova realidade.

 

Compartilhe!
  • Realmente é necessário cuidar da saúde das pessoas. A diabetes, por exemplo, pode ser controlada se a pessoa for bem auxiliada por seus remédios e medicamentos.
    Sei da importância do auxílio do tratamento da diabetes, pois trabalho numa empresa que vende, entre outros, produtos hospitalares para auxiliar o seu tratamento.
    Se um portador de diabetes não fizer o tratamento correto, pode acarretar em sérias consequências para o seu corpo e saúde.
    Se cuidar é muito importante!
    Att,
    Thiago Oliveira
    Gerente de Comunicação da empresa Medlevensohn