Como curar o diabetes pela raiz

1

Gigante farmacêutica se junta a importante grupo que pretende curar o diabetes em sua raiz, ao invés de produzir medicamentos contra os sintomas da doença.

 

Existe um grupo de estudos de possíveis curas para o diabetes, chamado CureBeta, que é composto pela nata da ciência farmacológica moderna: pesquisadores da Universidade de Harvard, do Howard Hughes Medical Institute e da empresa de biotecnologia alemã Evotec. O foco das atenções do CureBeta são as células beta. Estas são as células presentes no pâncreas que têm a função de produzir insulina. O grupo acredita possuir drogas capazes de regenerar estas células, o que em tese abriria caminhos para a cura do diabetes em sua origem celular. Seria a primeira vez que medicamentos para diabéticos tratariam a origem da doença, e não seus sintomas.

Agora, uniu-se ao grupo a gigante farmacêutica belga Janssen, uma divisão da Johson&Johnson. A companhia fornecerá ao grupo suporte tecnológico e de pesquisa, além de um generoso aporte de dinheiro: são mais de 300 milhões de dólares por produto desenvolvido através da parceria. Além disso, a farmacêutica pagará royalties para as demais instituições caso novos medicamentos sejam lançados no mercado.A parceria animou os pesquisadores do CureBeta, os quais acreditam que, agora, poderão acelerar suas pesquisas e concluir projetos.

Continue lendo a matéria aqui!

 

O projeto CureBeta já possui um bom número de drogas candidatas a regenerar as células beta do pâncreas – e, caso elas realmente consigam este feito, será um revolução no tratamento do diabetes! As células beta são as principais produtoras de insulina do corpo. Diabéticos tipo 1 têm estas células constantemente destruídas pelo próprio sistema imune, e por isso não produzem insulina. Diabéticos tipo 2 têm grandes chances de possuírem menos destas células em atividade normal. Ou seja, elas estão por detrás dos dois principais tipos de diabetes. A esperança de que as pesquisas do CureBeta dêem certo são, portanto, enormes! Torçamos que, com a entrada da Janssen, a produção científica se acelere.

Compartilhe!
  • sonia maria bilo

    gostaria muito, e estou rezando para que essa experiencia de certo, pois passeia ter essa doença e conheço muita gente com ela . Eu gosto muito de doeces e não posso mais come-los