Cirurgia Bariátrica X Medicamentos: um embate de peso!

0

Cientistas italianos comparam os dois tratamentos para diabéticos acima do peso e concluem que apenas um deles é uma ‘meraviglia’.


Sabendo, assim como nós, da relação direta entre obesidade e diabetes, a equipe da médica Frida Leonetti, da Universidade de Roma, na Itália, estudou 60 pacientes que tinham, além de diabetes, obesidade mórbida. Metade deles passou por uma cirurgia bariátrica, na qual uma porção do estômago é desutilizada, e a outra metade recebeu o tratamento medicamentoso usual para tratar o diabetes. Os resultados, publicados no periódico Archives of Surgery, foram incríveis.

O grupo italiano afirma, em relação ao grupo operado, que “a remissão do diabetes foi alcançada em 24 dos 30 pacientes (80%), em todos os 20 pacientes (100%) que tinham diabetes tipo 2 há menos de 10 anos, e em 4 dos 10 pacientes (40%) com diabetes tipo 2 há mais de 10 anos”. Enquanto isso, todos os 30 pacientes do segundo grupo de estudo, o que recebeu o tratamento convencional, se mantiveram diabéticos e tiveram de continuar ou aumentar a terapia.

Outros resultados animadores para o grupo da cirurgia: o índice de massa corporal (IMC) destes pacientes antes da operação era de 41.3, número que caiu a 28.3 após 18 meses. O IMC do grupo controle pouco se alterou. Além disso, neste um ano e meio, os operados demonstraram queda considerável em casos de apnéia obstrutiva do sono (que é a dificuldade de se respirar enquanto dorme) e no uso de drogas antihipertensivas e hipolipidêmicas (para baixar o colesterol no sangue).

Os pesquisadores concluem: “Resultados de médio e longo prazo são necessários para confirmar o efeito positivo (remissão e/ou melhora) da cirurgia bariátrica no diabetes e, no geral, nas complicações crônicas da doença. Mais importante, os resultados de longo prazo permitir-nos-ão comparar os custos e benefícios da cirurgia bariátrica com os tratamentos médicos convencionais”.

Estaremos entrando em uma era na qual a cirurgia bariátrica será, de fato, o “tratamento convencional” para diabéticos acima do peso?

Imagem:  FreeDigitalPhotos.net

Compartilhe!