Cientistas buscam a cura na natureza

3

Pesquisadores ingleses afirmam que extrato de planta ornamental possui propriedades anti-diabéticas 8 vezes mais potentes que os remédios atuais.

Campus da Universidade de Greenwich, na Inglaterra, onde as pesquisas com compostos naturais estão sendo realizadas.

Campus da Universidade de Greenwich, na Inglaterra, onde as pesquisas com compostos naturais estão sendo realizadas.

Cientistas acreditam ter descoberto uma fonte natural de poderosos medicamentos para combater o diabetes. Segundo eles, os extratos de duas espécies de plantas do sudeste asiático possuem propriedades anti-diabéticas muitas vezes mais eficientes do que os remédios comuns atuais. Além disso, estas plantas apresentariam, também, benefícios ao tratamento da obesidade e de doenças relacionadas.

É bem verdade que a descoberta parece boa demais para ser verdade. Buscar na Natureza uma cura para o diabetes é sonho de pesquisadores há décadas, porém, até agora, foi a tecnologia das grandes farmacêuticas que venceu as batalhas como melhor tratamento para a condição. Eventualmente surgem novidades indicando que uma certa planta ou extrato – como por exemplo os derivados das folhas de oliveira – possuem qualidades anti-diabéticas, mas estas vantagens nunca suplantaram em eficiência os tratamentos convencionais. Este paradigma estaria a ponto de mudar, segundo os especialistas da Escola de Ciências da Universidade de Greenwich, na Inglaterra.

 

Os tristes e reais motivos por trás da descoberta

Além de tentar encontrar uma maneira inédita de combater os efeitos adversos do diabetes, há outro motivo muito importante por trás da pesquisa com as plantas asiáticas. Os cientistas trabalham em uma Universidade britânica, e a Inglaterra, devido à crise econômica européia, tem cortado profundamente os gastos com a saúde pública. Neste processo, os diabéticos são alguns dos pacientes mais prejudicados. Isto porque o número de pessoas com a doença no país é altíssimo (cerca de 32 milhões), assim como o custo para amparar tanta gente (o qual chega a 13 bilhões de reais anuais). Na hora de economizar, doenças “caras” para o Estado são as primeiras a receber corte no financiamento. Por isso, encontrar fontes naturais – e portanto baratas – para tratar o diabetes é uma questão de saúde pública nas ilhas inglesas.

“O diabetes é um peso gigantesco para sociedade no geral. A busca por tratamentos está levando o serviço público de saúde à falência, e é bem provável que este problema piore na próxima década. Não existe remédio conhecido para a cura e, em vista disto, [a descoberta]é um enorme incentivo para que continueamos a realizar pesquisas neste campo”, disse o doutor Solomon Habtemariam, um dos líderes do projeto.

 

O segredo das plantas

planta senna auriculata diabetes

Os pesquisadores de Greenwich isolaram compostos presentes no extrato das plantas Cassia auriculata e Cassia alata, duas espécies comuns no sudeste da Ásia e tradicionalmente utilizadas como medicamento natural em países como a Índia. Um destes compostos, com o curioso nome de kämpferol 3-O-rutinosídeo, mostrou-se oito vezes mais potente que a acarbose, um princípio ativo comum em muitos remédios anti-diabéticos modernos. Outra vantagem é que a nova molécula não gera os efeitos colaterais desagradáveis associados à acarbose (como diarréia e flatulência). O time de pesquisadores informou ainda que outros compostos encontrados nas plantas poderiam ser utilizados no tratamento da obesidade, também apresentando pouco ou nenhum efeito colateral. E, como se não bastasse, estas plantas ainda apresentariam propriedades antiinflamatórias, o que é um agradável bônus na hora de cuidar do diabetes.

senna auriculata diabetes“Uma de nossas descobertas mais interessantes é que muitos dos princípios ativos da planta Cassia auriculata funcionam através de um processo chamado de “sinergismo” – em outras palavras, eles funcionam juntos para produzir um efeito maior do que a soma de seus efeitos individuais”, afirmou o dr. Habtemariam. “No geral, isto sugere que o extrato cru da planta possui muito potencial para ser utilizado clinicamente no tratamento do diabetes e de doenças associadas“.

No momento, a pesquisa está em seus estágios iniciais. O time de pesquisadores ingleses afirma que a meta da equipe é atingir o nível de testes clínicos o quanto antes. Até lá, cautelosos, os cientistas afirmam que mais estudos são necessários até se ter certeza de que o extrato das plantas possa realmente ser utilizado no tratamento de quem está com diabetes. Todavia, eles estão muito esperançosos – motivo mais do que suficiente para que nós também cruzemos os dedos.

 

Compartilhe!
  • edson rodrgues de morais

    a cassia ocidentales e mesmo potente contra diabetes 2 eu tomei o cha e comprovei – sou farm-bioquimico.

  • DiabetiCool

    É mesmo, Edson? Isto é muito interessante!
    Poderia compartilhar mais detalhes desta sua história com a comunidade diabética?

  • vera lucia

    amei essa notícia, meu irmão é diabético então gostaria muito de ajudá-lo..