Chega ao Brasil insulina aplicada apenas 1 vez ao dia

8

Insulina Tresiba promete facilidade na hora de controlar a glicemia. Mais: Paula Toller prestigia lançamento e fala sobre seu dia-a-dia com o diabetes.

tresiba diabetes 2

Caneta de aplicação da nova insulina de ultralonga duração.

Já pensou aplicar insulina apenas uma vez por dia e poder se preocupar menos com os perigosos episódios de hipoglicemia? É esta tranquilidade no tratamento do diabetes que a nova insulina degludeca promete trazer. Lançamento da Novo Nordisk no Brasil, com o nome comercial de “Tresiba”, a degludeca pode ser uma ajuda e tanto na hora de manter a glicemia sob controle.

A degludeca é uma insulina basal de ação ultralonga, com até 42 horas de duração. Assim, apenas 1 injeção por dia já é suficiente para manter os níveis basais de insulina sob controle. Sua composição garante maior estabilidade durante este período, sem grandes picos de ação, o que ajuda a manter a glicemia equilibrada por mais tempo.

Um dos pontos fortes da degludeca é diminuir episódios de hipoglicemia. Em estudos clínicos, ela foi capaz de reduzir em 25% o risco de hipoglicemia noturna em diabéticos tipo 1 e em 43% em diabéticos tipo 2.

A primeira vez que a degludeca apareceu no Diabeticool foi em abril de 2012, em uma matéria sobre os primeiros resultados publicados de testes com a insulina. Relembre em “Insulina de ultra-longa duração é um ultra sucesso”!

 

FACILIDADES NO TRATAMENTO

lancamento tresiba diabetes

Em evento de lançamento do Tresiba, o endocrinologista Antônio Roberto Chacra, professor titular da UNIFESP, conversou com diabéticos sobre a dificuldade de equilibrar a glicemia e evitar hipoglicemias. Foto: Alexandre Lico Neves

Boa parte dos diabéticos que precisam injetar insulina diariamente não segue direitinho os horários de aplicação. Seja por esquecimento, viagens ou até mesmo vergonha de aplicar em público, é muito comum que se “pule” uma ou outra aplicação. Isto pode trazer consequências graves, provocando picos na variação da quantidade de açúcar no sangue que podem ser prejudiciais ao corpo.

Um estudo publicado em 2009 na revista científica Acta Diabetologica mostra que, no Brasil, 90% dos diabéticos tipo 1 (que dependem do uso de insulina) têm um controle inadequado da glicemia.

Em vista disto, utilizar uma insulina de ação ultralonga é uma ótima opção. Ela permite maior flexibilidade nos horários de aplicação. Além disso, mesmo que o diabético “se esqueça” de uma injeção, as consequências na variação da taxa glicêmica serão menores.

+ SAIBA TUDO sobre hipoglicemia, quais são os sintomas e como combate-la AQUI!

A degludeca foi aprovada para utilização em diabéticos tipo 1 e tipo 2 insulinodependentes em fevereiro deste ano pela ANVISA. Estudos estão sendo conduzidos no momento para determinar se ela poderá ser utilizada por crianças e grávidas. É importante lembrar que insulinas de ação ultralonga não substituem as de ação rápida (utilizadas na hora das refeições), sendo os dois tipos usados em conjunto.

A Tresiba já pode ser encontrada nas prateleiras das farmácias com preço aproximado de R$125.

 

PAULA TOLLER PRESTIGIA LANÇAMENTO

paula toller diabetes

A vocalista do Kid Abelha abriu o jogo sobre sua convivência com o diabetes. Foto: Alexandre Lico Neves

Em evento de lançamento da Tresiba em São Paulo, Paula Toller, vocalista do Kid Abelha e diabética tipo 1, falou sobre sua história com a doença. Foi a primeira vez que a cantora detalhou, em público, como é conviver com o diabetes.

“Descobri o diabetes no verão de 2009. Estava muito magra na época – e achando ótimo! Também sentia muita sede e cansaço, mas achava que eles eram por causa das altas temperaturas”, conta.

Foi o seu dermatologista quem primeiro a alertou de que estes sinais poderiam ser de diabetes. “Ele me pediu para fazer um exame de sangue. Deu 340 de glicemia em jejum, a hemoglobina glicada estava em 12%. Naquele dia, fiquei meio em choque com os resultados”, revela Paula.

Desde então, a cantora segue uma rotina rígida de controle da glicemia. Paula pratica exercícios físicos todos os dias (corridas, caminhadas, pilates, musculação), aprendeu a contar carboidratos nas refeições e mede continuamente a quantidade de açúcar no sangue. Antes dos shows, sempre checa se a glicemia está em valores adequados para aguentar a adrenalina e agitação dos palcos.

“Eu nunca relaxo, porque o diabete é uma doença que, se controlar, dá para viver ‘quase’ normal”, conta a cantora.

Controlar o diabetes restringe um pouco o seu dia-a-dia, sim, mas hoje sou uma pessoa bem mais saudável, me alimento muito melhor do que antes. Aliás, não deixo de comer nada, só modero as porções. Um pedacinho pequeno de bolo não afeta muito minha glicemia e já me deixa bastante feliz!”.

 

Compartilhe!
  • dione de souza

    onde devo compra

  • Oi, Dione, tudo bem?

    A Tresiba já pode ser encontrada nas farmácias. Caso tenha dificuldades em achá-la, entre no site dos nossos parceiros da MultiFarmas – http://www.multifarmas.com.br/ – e encontre com facilidade em farmácias online.

    Um abraço,

  • Sonia Bacha

    Minha endocrinologista receitou a Tresiba, como nunca havia utilizado insulina, entrei em contato com a Novo Nordisk e me cadastrei no Programa. Aceitei receber orientações de como utilizar a insulina. Hoje me ligaram e me passaram as informações de praxe. Me orientaram, após iniciar o tratamento, deixar a tresiba fora do gelo, até uma temperatura de 30º, indaguei que como moro no Rio de Janeiro, é quase impossível ter uma temperatura abaixo de 30º, visto essa dúvida, a atendente me orientou entrar em contato direto com o laboratório. Liguei, entretanto o mesmo só funciona até as 17h de segunda à sexta.
    Na bula também informa deixá-la fora do gelo, após iniciar o tratamento.
    Como devo proceder com essa questão, deixá-la fora do gelo? E quando eu tiver que viajar, colocá-la numa bolsinha, como me orientaram, ou pô-la em um isopor com uma placa de gelo?
    Obrigada desde já pela atenção.
    Sonia Bacha

  • Solange Tomazia

    Estou muito triste a tresiba usei por quase 6 meses, mas não atingiu o efeito desejado. (voltando para a nph) já que os valores glicêmicos foram os mesmo, só no primeiro mês ficou melhor. 🙁

  • Solange Tomazia

    Estou muito triste a tresiba usei por quase 6 meses, mas não atingiu o efeito desejado. (voltando para a nph) já que os valores glicêmicos foram os mesmo, só no primeiro mês ficou melhor. 🙁

  • Thiago Benfica

    Prezados,

    Leio bastante sobre todas as novidades no ramo da diabetes, mas tenho tido grandes problemas em encontrar algum medico que esteja antenado, ou disposto a não seguir uma “receita de bolo”no tratamento do diabetico. Em sua maioria, é sempre a mesma receita.

    Neste sentido, gostaria de saber se vocês possuem um quadro medico com o perfil investigativo, voltado ao caso de cada indivíduo, receitando individualmente ao caso do paciente, para poder indicar?

    Agradecido

  • Gabriela Nogueira Porfírio

    Olá Thiago. Você está procurando um bom endocrinologista? Onde você mora? Moro em São Paulo capital, sou Dm tipo 1 e tenho sido acompanhada desde novembro por uma endocrino excelente e muito competente. Não sei exatamente ao que você se refere, mas posso te garantir que meu tratamento mudou completamente e se tornou muito mais “personalizado”às minhas necessidades desde então. O nome dela é Karla Melo. Atende num consultório perto do hospital das clinicas de São Paulo.
    Espero ter ajudado.

  • Thiago Benfica

    Ola Gabriele, muito obrigado pela resposta. Sou do RJ, mas tenho como programar uma viagem à SP se valer a pena. Anotei o nome da sua médica, vou tentar procurar na internet.

    Novamente muito obrigado