Bebês vão ajudar a descobrir o que causa diabetes tipo 1

2

Ninguém ainda sabe o que desencadeia o diabetes tipo 1. Agora, com a ajuda de milhares de bebês, a resposta pode finalmente surgir.

O que causa diabetes tipo 1 – a versão “juvenil” do doença e que surge bem cedo na vida das pessoas? A resposta ainda ninguém sabe. Alguns especialistas apostam em problemas no metabolismo da mãe, outros chegam a dizer que infecções por vírus podem desencadear a doença. Há diversas hipóteses. O fato é que alguma coisa faz com que o sistema imune de algumas pessoas fique “maluco” e passe a atacar as células boas do pâncreas, o qual lentamente cessa de produzir insulina, gerando o diabetes tipo 1.

Uma grande pesquisa a ser realizada na Austrália pretende descobrir o que, de fato, gera o diabetes tipo 1. E para isso vai contar com a ajuda de mais de 1600 bebês recém-nascidos.

O bebê Zach, de 10 meses, é um dos participantes do estudo. Ele está ao lado do irmão Jordan, 13 anos, e de sua mamãe Kim

O bebê Zach, de 10 meses, é um dos participantes do estudo. Ele está ao lado do irmão Jordan, 13 anos, e de sua mamãe Kim

 

COMO VAI FUNCIONAR

Pesquisadores do hospital The Royal Melbourne acompanharão detalhadamente a saúde destes bebês durante três anos. Caso percebam sinais de que o organismo deles está começando a atacar as células produtoras de insulina no pâncreas, sintoma que começa bem antes do diabetes tipo 1 aparecer, os especialistas tentarão determinar se o que causou isto foi a dieta da mãe, a dieta do próprio bebê ou então algum micróbio, dentro demais fatores. Correlacionando os dados de milhares de pequenos voluntários, um quadro bastante acurado sobre o início do diabetes tipo 1 poderá ser criado.

Zachary Bush, o bebê da foto acima, foi um dos 1600 voluntários escolhidos para a pesquisa. Sua mãe, Kim, foi diagnosticada com diabetes tipo 1 aos 14 anos de idade, e desde então, infelizmente perdeu três bebês devido a complicações do diabetes na gravidez. Chegou a hora de ajudar outras mães e se livrar deste peso, segundo ela.

“Esta pesquisa é importantíssima, pois poderá resultar em prevenção ou em uma cura [à doença]”, disse Kim. “Eu indicaria fortemente a todos que participem dos testes porque são vitais não apenas aos seus filhos, mas também aos seus netos e bisnetos“.

Compartilhe!
  • Jéssica Ferreira

    Que lindooooo kkkkkkkk!!!

  • lucinei j. pizzaia

    Isso é muito bom !!