Alerta vermelho para o uso de estatinas

0

De acordo com novo estudo, as estatinas, classe de medicamentos populares para baixar o colesterol, aumentam em até 46% os riscos de diabetes tipo 2.

estatinas e diabetes tipo 2

Estatinas são uma classe de medicamentos muito utilizados para tratar o colesterol alto. Apesar de serem efetivas no controle do colesterol, diversos estudos têm apontado efeitos negativos à saúde, muitos deles relacionados ao diabetes. Agora, um novo trabalho científico, conduzido por pesquisadores da Universidade Finlandesa Oriental, pretende confirmar de vez que estatinas e diabetes andam lado a lado.

Após acompanharem, durante 6 anos, a saúde de quase 9 mil homens, os cientistas apontam que quem utilizou estatina teve chances até 46% maiores de desenvolver diabetes tipo 2.

No início do estudo, nenhum dos voluntários era diabético. Ao longo dos anos, 625 desenvolveram a doença, e muitos deles tomavam estatinas.

A partir desta informação, os pesquisadores analisaram os dados de acordo com a idade, Índice de Massa Corporal, circunferência abdominal, os níveis de atividade física, quantidade de álcool e cigarro consumidos, histórico familiar de diabetes e uso de tratamentos diuréticos e com beta-bloqueadores destes voluntários.

A conclusão: utilizar sinvastatina ou atorvastatina (estatinas presentes em medicamentos como Zocor e Lipitor) aumenta bastante os riscos de diabetes tipo 2. Quanto maior a dose ingerida, maiores os riscos. Altas doses de sinvastatina foram relacionadas a chances 44% maiores de diabetes, enquanto que altas doses de atorvastatina aumentavam os riscos em 37%.

+ MAIS SOBRE ESTATINAS NO DIABETICOOL: Estatinas – um perigo a mais para o diabetes: Entenda o que são estas substâncias químicas que aumentam os riscos de desenvolvimento do diabetes.

 

A associação entre o uso de estatinas e riscos maiores de desenvolver diabetes está provavelmente relacionada à diminuição na sensibilidade à insulina e à menor secreção do hormônio”, explicaram os pesquisadores.

O uso de estatinas diminuiu a sensibilidade do organismo à insulina em 24%, além de reduzir a secreção do hormônio em 12%. Os dois fatores dificultam o controle correto da glicemia e podem levar ao desencadeamento do diabetes.

Os autores do estudo afirmam que a conclusão é válida, por enquanto, apenas para homens brancos (que representam a totalidade dos voluntários neste estudo finlandês). Novos trabalhos deverão ser feitos para observar se há relação entre estatinas e diabetes em mulheres e entre pessoas de outras origens étnicas.

Compartilhe!