Um jeito divertido de aprender a controlar a glicemia

0

Empresa farmacêutica lança game que ajuda diabéticos a compreender melhor a doença e a realizar corretamente seu tratamento

Tela do game Dependency para diabéticos

Tela do game Dependency para diabéticos

Diabetes nunca foi algo fácil de se entender e tratar. O controle das taxas de açúcar no sangue, quais os órgãos envolvidos na doença, como funcionam as interações hormonais e o que fazer para reverter os quadros de hiperglicemia são exemplos de assuntos penosos de se compreender. Apesar disso, estar bem informados acerca da doença é essencial para que os diabéticos otimizem seu tratamento. Felizmente, já existem maneiras bastante práticas – e até mesmo divertidas –  de se aprender mais sobre a doença.

“Quando encontro famílias com crianças diagnosticadas com diabetes, percebo a necessidade por novas maneiras de se apresentar informação sobre a doença e a importância de um auto-tratamento cuidadoso. Há uma abundância de folhetos e livros sobre diabetes, mas tais documentos são geralmente difíceis de se entender”, afirma Peter Adolfsson, médico-chefe e especialista em diabetes infantil no Hospital Infantil Rainha Silvia, em Gotemburgo, Suécia. Em sua clínica está sendo testada uma maneira original de se educar os pequenos pacientes: através de um jogo eletrônico.

Idéia da companhia farmacêutica Eli Lilly e desenvolvido em parceria com empresas suecas, o game “Equalize” ensina de maneira divertida como funciona o diabetes e o que fazer quando a glicemia atinge picos, tudo isto através de uma interface similar a jogos clássicos como Super Mario. A cada ação dos personagens na tela, como andar ou pular, sua glicemia diminui. O objetivo é chegar ao final das fases equilibrando a taxa de açúcar no sangue através da ingestão de alimentos e uso de insulina na medida correta.

“O equilíbrio entre comida e insulina é crítico para quem tem diabetes. O jogo para computador Equalize torna mais fácil e divertido às crianças aprender sobre sua doença”, garante Carin Landsmer, diretora de marketing da Eli Lilly.

Os resultados dos primeiros testes do jogo com pacientes foram tão animadores que uma versão para jovens e adultos, intitulada “Dependency”, foi produzida. Apesar de compartilhar a mesma premissa do Equalize, esta versão apresenta personagens, história e desafios mais complexos, além de ter sido traduzida para o inglês.

Ragnar Hanås, especialista em diabetes e consultor médico de Dependency, explica as vantagens de se aprender mais sobre a doença através de um game. “Sabe-se por experiências como as de pilotos de combate e cirurgiões que trabalham com endoscópios (…) que eles apresentam melhores resultados se trabalharem antes em simuladores. E simuladores são certamente um tipo de jogo de computador. Portanto, existe uma boa razão por trás do aprendizado via jogos. Adolescentes e jovens adultos são um público-alvo importante para isso, eles vão tratar seu diabetes de maneira independente e podem precisar de motivação extra, e nesse caso games são uma nova maneira de alcançá-los”.

Para maiores informações, acesse a página da entrevista com o doutor Hanås sobre o jogo Dependency (em sueco) ou o press-release da versão infantil (em inglês).

Para jogar os games mencionados, acesse http://www.equalize.se. A versão adulta, traduzida para o inglês, pode ser encontrada em http://equalize.se/dependency/.

Tela do game Equalize para crianças com diabetes

O game Equalize ensina de maneira divertida às crianças como elas devem tratar seu diabetes

Compartilhe!