A diabetes diagnosticada na infância pode afetar os olhos?

0

O diabetes tipo 1 atinge crianças e adultos de qualquer idade. A doença surge de repente, gera a dependência de insulina injetada ou bombeada para a vida toda, e carrega a ameaça constante de complicações devastadoras.

Apesar dos pais saberem que uma criança com diabetes precisa de insulina para controlar as taxas de açúcar no sangue, muitos não compreendem completamente todos os riscos associados à doença e, principalmente, os riscos associados aos problemas de visão.

A diabetes mellitus é uma doença do grupo das doenças metabólicas caracterizada por níveis elevados de açúcar no sangue. Existem dois tipos principais de diabetes: o tipo 1 e o tipo 2. A forma mais comum em crianças é a diabetes mellitus tipo 1 , que também pode ser chamada de diabetes juvenil ou diabetes insulino-dependente. Este tipo da doença é originário de um problema no sistema imunológico da criança e requer um monitoramento contínuo dos seus níveis de glicose.

“Geralmente, o diabetes insulino-dependente apresenta sintomas como o excesso de peso, muita sede e micção frequente. Se não for tratada, a condição pode causar perda de consciência e outras doenças graves. Pacientes pediátricos com diabetes também podem desenvolver catarata. A catarata é a opacificação do cristalino, que prejudica a visão, e pode exigir uma cirurgia para restaurá-la”, alerta o oftalmologista Virgílio Centurion (CRM-SP 13.454), diretor do IMO, Instituto de Moléstias Oculares.

Crianças com diabetes tipo 1 precisam ter seus níveis de açúcar no sangue constantemente monitorados. A gestão da doença também abrange mudanças dietéticas, exercícios físicos e medicação, como as injeções de insulina para se manterem saudáveis. “Sem controle, tanto taxas extremamente baixas de açúcar no sangue (hipoglicemia), quanto a elevação das taxas de açúcar no sangue (hiperglicemia) podem ser uma ameaça à vida, podendo até requerer hospitalização”, informa o oftalmopediatra Fabio Pimenta de Moraes (CRM-SP 124.321), que também integra o corpo clínico do IMO.

Segundo Fabio Moraes, o diabetes tipo 1 pode afetar a visão e alguns pacientes podem chegar à cegueira. “A complicação mais significativa neste grupo de pacientes é a retinopatia diabética. A retinopatia envolve danos aos vasos sanguíneos da retina. Esses vasos, devido ao diabetes descompensado, vão se tornando obstruídos e/ou vão crescendo de forma anormal. A retinopatia é rara antes dos 10 anos de idade, porém o risco aumenta conforme o tempo de diagnóstico da doença. Os tratamentos para evitar a progressão da retinopatia diabética, tais como o laser e/ou a cirurgia, podem ser úteis para evitar a perda visual ou restaurar a visão”, avisa o oftalmopediatra.

“Quando uma criança é diagnosticada com diabetes tipo 1, um exame oftalmológico é frequentemente recomendado. Dependendo dos resultados do exame, o oftalmologista irá recomendar a periodicidade do retorno, pois o monitoramento da saúde ocular deve ser tão frequente quanto o da saúde geral do paciente para que o os problemas oculares associados ao diabetes possam ser diagnosticados e tratados em tempo hábil”, recomenda Fabio Moraes.

Fonte: Segs.com.br

Compartilhe!